Sobre a distorção da realidade


Essa noite estava pensando sobre os relacionamentos, sobre como as coisas acontecem. Nada é como imaginamos, sempre criamos e idealizamos os outros demais, acho que por isso nós não funcionamos. Eu imaginei você, te fiz o melhor, o melhor beijo, o melhor abraço, a melhor parte de mim, e no final foi só isso mesmo, imaginação. Não que não fosse bom, éramos os melhores! Mas você me idealizou também. E aos poucos e com o tempo começamos a nos enxergar, acho que como em todos os relacionamentos, né?

Vi que seu sorriso era torto, que seu uniforme pra todas as ocasiões, jeans e botas, estavam começando a ficar batidos, já não fumávamos a mesma marca de cigarros, comecei a me cansar do Waits, precisava de mais blues, mais cor, mais Buddy guy. Acho que foi nesse ponto que comecei a te ver, e descobrir que você não era mais aquela pessoa que eu imaginei que você fosse, porque a final de contas, você não era mesmo, descobri em você uma pessoa completamente diferente, com um grande problema de ego, claro, mas isso faz parte da construção do seu “eu”.

Nunca vivemos tempo suficiente na fantasia, e isso funciona para tudo, sexo, drogas, sonhos, vida, ideias … Quando acaba você ainda fica com aquele gostinho de quero mais na boca! And this sucks!

Onde eu quero chegar com isso? Ninguém é insubstituível, por mais incondicional que a porra do amor seja, no geral foi uma merda que você mesma criou na sua cabeça tosca de pré adolescente. Então pare! Dê tempo ao tempo, estar solteira e feliz consigo mesma é o segredo de uma vida plena! Então apenas, compre um vibrador e seja feliz! Obg de nada!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ana Carolina Meneses’s story.