Queria ter uma Mochila de Espaço Infinito pra guardar a Felicidade

Quando eu jogava D&D — jogo de RPG Dungeons & Dragons, caso você não esteja familiarizado — tinha um item que era um dos mais cobiçados pela galera: a Mochila de Espaço Infinito. Apesar do nome, ela não tinha literalmente o espaço infinito, mas cabia pelo menos o conteúdo de umas 10 mochilas em uma, com o peso de uma. Um verdadeiro sonho de consumo pra guardar todas as tralhas que nossos personagens encontravam nas catacumbas onde eles percorriam suas aventuras de matar monstrinhos e coletar tesouros.

Fico pensando em como eu queria ter uma mochila dessas na vida real. Nela, eu guardaria apenas momentos felizes. A cada dia de saco cheio, tristeza na vida, falta de confiança no fluxo no Universo e até ressaca, eu sacaria meus trunfos mágicos da mochila. Eu pegaria aleatoriamente um momento feliz pra me lembrar que tudo é passageiro. Que a vida é feita de ciclos em espiral e fases. Que na verdade eu só valorizo os momentos bons, porque conheço os ruins.

Eu queria uma mochila de espaço infinito pra levar meus amigos. Meus gatos. Meu marido. Um videogame. A conta da Netflix. Algumas flores. Meu Kindle com todos os livros do Tolkien, do Harry Potter e os de comédia do Veríssimo.

Eu queria uma mochila infinita porque uma coisa externa às vezes parece mais fácil de enxergar do que os momentos felizes, que em muitas horas ficam sufocados embaixo de pensamentos que não contribuem e crenças limitantes que atrapalham.

Eu queria tirar 20 no dado todos os dias e ter sucesso nas jogadas da vida.

Mas agora preciso pedir licença. Agora que eu já visualizei o que quero, preciso fazer a minha parte e agir. Se não tem mochila pronta sempre dá pra construir uma :)