Covardia

Eu já peço desculpas de antemão. Ou não. Não é nenhuma perda cortar laços com pessoas tóxicas. Eu poderia simplesmente ter permanecido presa pelos comodismos de um outro alguém, mas, aos poucos, a exceção cansa e torna-se extremamente pesada. Vazia. Eu escolhi ser feliz.

Qualquer um que te diminua é uma pessoa tóxica, qualquer um que reforce os estigmas que você sofre diariamente é uma pessoa tóxica… Independente se você é tratado como exceção.

Não faltou coragem. Fibra. Certeza. Muito pelo contrário. Largar a comodidade de um relacionamento tóxico exige muito mais. Os tais vazios. Eu preferi seguir. Eu já perdi muito na vida, mas algumas coisas nós não perdemos. Nós apenas perdemos o que nos é valioso. Verdadeiro. São as pessoas que nos querem e nos fazem bem. Isso é perder. Agora, deixar pra trás é algo bastante distinto. Libertador.

Levo lembranças de um tempo bom. Distante. Estava exposta. Entregue. Você pode flutuar ou afundar, e eu escolhi flutuar. Para longe de você.

Desrespeitos. Desinteresse. Mentiras. Eu poderia pintar cada esquina com teus sinais de descaso. Covardia. São apenas caras com infinitas caras. Especialistas em fugir e fingir. Cansei.

Não existem tolas superioridades, amigo. Ninguém nunca esteve por cima.

Like what you read? Give Ana Bastos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.