'Hoje Eu Quero Voltar Sozinho' chegou no Netflix e isso é muito importante

Além de ter uma trilha sonora incrível e atuações impecáveis, esse filme mostra com clareza e delicadeza como a inclusão pode ser natural.

Descrição da imagem: tela do netflix com uma cena do filme ao fundo onde é possível ver dois meninos um de frente para o outro dentro de um quarto. É possível ler o texto: HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO e a sinopse do filme.

Se você não conhece o filme, comece vendo o trailer que já é de aquecer o coração:

O que eu mais gosto nesse filme é que ele é sobre muita coisa: amor, adolescência, primeiro beijo, independência e também inclusão. Ele mostra a deficiência de uma maneira importante, mas sutil. Não é a história de inclusão assistencialista e literal que mostra uma pessoa cega, que só faz coisas de cego, com pessoas cegas. É a história de um menino que se apaixona, by the way ele é cego.

Em tempo: eu não estou diminuindo o fato do personagem ser cego. O meu ponto é que a história poderia estar em qualquer episódio de Malhação ou sessão da tarde com 100% de adolescentes videntes e ainda assim seria um ótimo filme. O fato de ter um personagem cego, e isso ser tão natural da trama, é que faz dele um filme brilhante.

Característica que aparece também na própria tradução do título do filme para o inglês, que é o lindo "The way he looks". Muito mais poético e real do que algumas traduções tenebrosas do inglês-português.

O que talvez nem todo mundo saiba é que esse filme nasceu como um curta metragem em 2014 de nome "Eu não quero voltar sozinho". E por ter sido um grande sucesso de crítica e prêmios no Brasil e no mundo, ganhou seu remake estendido.

Me lembro direitinho de ter visto o curta ainda na faculdade. No dia que me mandaram o link eu assisti 2 vezes. No dia seguinte eu assisti mais duas vezes. Não saiu da minha cabeça durante uma semana e eu passei para todos os meus amigos. Eu queria falar sobre vídeo, comentar. Nunca havia visto algo tão legal, delicado e bonito. Mas na época estava só no youtube.

Me lembro direitinho de ter visto o filme no cinema. A emoção foi ainda maior. A história mais envolvente, a produção mais evoluída, a trilha sonora apaixonante, e ainda assim o filme mantinha sua delicadeza. E embora as salas de cinema tenham impactado muita gente, o filme não estava em cartaz em todas as redes.

Agora ele está no Netflix. Esse novo modelo de consumo de conteúdo ao alcance de todos. Pode ser que alguns procurem pelo filme, ou pode ser que escolham ao acaso, mas o importante é que o filme será visto e esse conteúdo/inclusão bacana vão chegar em mais pessoas. ❤

Caso você não tenha assistido esse filme ainda, aproveita que o friozinho chegou e já pro netflix!