Oi, sou texto!

Oi, tudo bem? Sim, é isso mesmo que você leu. Amo imagens, adoro posts, vivo dando pitaco nos vídeos do coleguinha produtor mas a verdade é: sou texto!

Escrever me deu uma voz e uma identidade. Eu escrevo, eu sempre escrevi e provavelmente vou continuar escrevendo sempre. Eu era aquela menina que tirava 0,3 em Física mas arrasava na aula de Redação. Aquela criança que odiava jogar vôlei na Educação Física, mas se afundava nas almofadas e praticamente decorava os livrinhos da aula de Leitura.

Hoje a Internet me fez uma leitora pior (começo muitos livros e termino quase nenhum), mas me deu uma profissão. A escrita é minha identidade: sou texto, sou jornalista, sou redatora, sou palavra e entonação. Sou a Ana que Escreve.

Vejo meus textos por aí, mas não me apego. Meu trabalho e falar na voz do cliente, então preciso saber meu espaço. E na falta de um espaço realmente meu, criei um blog. Depois outro. Mas aí, me toquei de uma coisa: ter um blog me fazia escrever menos, não mais.

Sim, é estranho, eu sei. Mas como esse também é meu trabalho, meu nível de cobrança pessoal acaba sendo muito alto. O que era pra ser uma diversão vira… trabalho. Mas um trabalho que sempre está no fim da fila, nunca ganhando a devida atenção que merece.

Apesar de ser texto, me cobro para tentar me virar em mil e ser imagem, postagem, montagem, resultados e frequência. Acabo repetindo, sem querer, a frase que tira toda a diversão de tudo “Se é pra fazer, tem que fazer direito!”.

Que bobagem. Fazer errado é muito mais legal. Por isso dei um tempo no blog e decidi voltar ao que realmente sou: texto. Por isso estou aqui, no Medium. Quero escrever simplesmente porque quero escrever. Não prometo imagens, montagens, postagens e muito menos frequencia. Dessa vez, escolho a diversão. Quero ser simplesmente a Ana que Escreve. :)