A simples escolha de ser mãe na crise

O bom de engravidar em meio à crise financeira é que aprendemos a ser mais simples — algo que tenho tido como propósito de vida desde que decidi sair do mundo corporativo. Junto aos reajustes de finanças das famílias brasileiras vieram muitas adaptações que, para mim, são maravilhosas. Nossas crianças não precisam de luxo. Para a gestação e bebês, então, nada melhor do que a simplicidade.

Entrei na onda das mamães alternativas. Não sou uma pessoa totalmente alternativa, apesar da queda pelas coisas com mais significado. Mas estou amando ser gestante no auge do retorno do parto humanizado, da troca do carrinho pelo sling, do quarto montessoriano, da fralda ecológica, entre outras tendências.

Quarto montessoriano simples e barato

Quando digo que tenho vontade de fazer tudo isso, muitas pessoas ainda falam na minha cabeça, principalmente aquelas acostumadas com o padrão porta maternidade laqueada-quarto em cores pastel-enxoval americano. Esse tempo passou, e os pais e avós de crianças de dois anos para cima precisam se atualizar das novidades.

O que falo para quem está grávida agora é que temos a sorte de comprar com preço melhor aqueles produtos que nem foram usados direito pelas criancinhas da era farta pré-crise. Eu mesma já adquiri roupinhas lindas e em ótimo estado, ganhei banheira boa e novinha e terei emprestado o bebê conforto.

Mas já garanti meu sling e estou fazendo um verdadeiro esforço para convencer todos ao meu redor que não quero chá de fraldas porque vou gastar apenas R$1.500 com as ecológicas (que duram até o desfralde, não precisam de pomada e lenço umedecido e são super fáceis de lavar, para quem já quer julgar sem saber). Ainda estou pesquisando um mini berço usado para o bebê ficar até poder usufruir do seu super simples e barato quartinho multifuncional, o que será lá pelos seis meses de idade.

Mas antes disso tudo acontecer, tem todos os procedimentos que a gestação exige. Já pesquisei e, se eu precisasse, com certeza faria o pré natal no posto de saúde do meu bairro. Fiquei encantada com tanta organização quando fui tomar a vacina de H1N1. Além disso, aqui em Belo Horizonte, hospitais, ONGs, igrejas, centros espíritas e outras instituições oferecem tantos serviços gratuitos e excelentes, desde terapias, passando por cursos para casais grávidos, até escalda pés e yoga, que o orgulho e nojinho precisam passar longe.

Então, se você engravidou sem querer em meio à crise ou quer engravidar mas está com medo por questões financeiras, minha querida, não se culpe tanto. Eu sei que crianças geram gastos, mas não precisa ser aquilo tudo que estávamos acostumados a ver até pouco tempo atrás. Como estou em casa (desempregada tentando empreender), pretendo ficar com minha filha até ela completar um ano (veremos o andar das coisas). Mas conheço gente que pesquisou até achar um berçário muito bom, próximo ao trabalho e muito mais barato que as escolinhas que estão na conversa dos grupos de mães do Facebook.

Pesquisa, humildade, gratidão e amor: isso é tudo o que nossos filhos precisam.