Encantamento

Ah essa vontade de sorver a vida,
De deixá-la entrar por todos meus poros,
De dançar sem parar
Quase sem dormir
De rir
Cantar (e estou sem voz!)
De amar.

A alegria tomando conta do corpo e exigindo movimento.
Não é que tudo seja alegre, mas isto está dentro.

Novas descobertas a cada dobrar de esquina
Quando menos se espera, uma surpresa boa
Porque também há de tê-las!

Sintonizar a mente e os olhos
E perceber o ser invadido de beleza
Me misturar, celebrar o momento
Me encantar.

Me sentir viva viva.
Sentir a força daquilo que não se explica.
E de repente tudo faz sentido de um jeito novo, mas também antigo,
E novas possibilidades que não sabia.

O reencontro comigo
Esta força de viver e de amar
O frio na barriga
A humildade de não me colocar no caminho.
O efêmero momento que faz valer a vida.

Ah, e escrever, que adoro
E há tempos não fazia!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.