Quem sabe eu ainda sou uma garotinha…

Não sou de fazer orações, já fui, mas o tempo, o mundo, tudo me fez acreditar que eu era uma garota má.

E Deus não ouve garotas más.

Nada nunca foi fácil por aqui, tantas batalhas, lutas, guerras, e tem sempre aquela hora que você diz “Vou desistir dessa merda”, mas voce sempre continua, por algum motivo que já nem importa depois ou por algum instinto masoquista de sobrevivência.

Nessas horas eu olho pro céu, primeiro peço quientinha por perdão, ser uma garota má não estava nos planos, mas não ser absolutamente não faz parte da essência. Depois peço força pra manter tudo o que tenho aqui agora. Apago o cigarro entre os dedos em sinal de respeito. “quem conversa com Deus com o vício nas mãos, menina?”. Recomeço a tentativa de conversa. “Será que Deus está me ouvindo mesmo?”. Eu pergunto muito o por que das coisas todas, mas as pessoas falam, Deus não. Ou eu não ouço? Não sei mais…

Se um dia eu encontrar Deus e ele falar, um pouquinho que seja, eu vou perguntar timidamente “por que existir tem que ser tão angustiante e lindo?”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.