A dor do outro não existe pra te fazer perceber a sua felicidade.

Há alguns dias estou remoendo restos de uma conversa que não consigo digerir. Conversando com um moço, bem instruído, classe média alta e aparentemente desconstruído e de bom coração, chegamos à um ponto comum de nossas vidas: depressão e transtorno de ansiedade. Começamos discutindo os diferentes efeitos dos remédios para cada pessoa, pois ele é medicado com algo que eu não posso tomar por já ter ficar enlouquecida com os efeitos. Então, chegamos a tão discutida autoajuda e tudo aquilo que podemos fazer para nos auxiliar nessa guerra eterna. E ai ele comentou: “Sabe o que faz bem? fazer trabalho voluntário”, eu prontamente respondi: “Sim, faz muito bem ajudar o próximo. Faço o que posso” — ele respondeu: “É bom ver o quanto o outro tem mais problemas que você e está fodido na vida pra perceber que nós não temos problemas reais”. E ai minha cabeça começou a minhocar e não parou até agora, porquê 1) Coitado, ele não sabe absolutamente nada da minha vida, e MUITO IMPORTANTE 2) Que pessoa é essa que acha normal observar alguém em uma situação ruim para se sentir bem? E a resposta é extremamente triste, pois pra maioria das pessoas é assim.

Fazer o bem é um ato sem retorno, não é para te fazer sentir melhor, muito pelo contrário, fazer o bem é para o outro. Ajudar o próximo, levantar o amiguinho do chão porque ele tá caído e precisa ficar em pé e não porque vai te fazer bem. Não existe “você” em ajudar. Então póparar com a zueira PLMDDS! Que egoísmo é esse? Dê cobertas a quem sente frio, comida a quem sente fome e a mão a quem precisa, mas JAMAIS faça isso como medicação de quem observa o frio do outro e percebe ter cobertas, a fome e percebe ter comida, a tristeza e percebe ter amigos. Ajude de coração, ajude estando bem, ajude estando mal. Não seja egoísta, e não seja um pseudo humanitário vivendo de hipocrisia.

Tava precisando vomitar isso rapidinho. Se você leu, obrigada, e não seja egoísta!

Like what you read? Give Ana Ono a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.