Ana, acabo de ler sobre a sua perda, a Ivete.
Fernanda La Ruina
11

Verdade… li seu texto com essa dor sim. E uma das coisas que me chamou atenção foi quando você mencionou que dor não se compete, não se compara. Foi bem isso que vivi com a perda dela… pessoas que muitas vezes não entendem uma dor tão grande pela perda de uma gata. A verdade é que apesar de muito julgar, ninguém vive e nem tem noção da dimensão da dor do outro.

Bem… sou fotógrafa. Então sou bem suspeita. Mas apesar de ser fotógrafa, sou daquelas que prefere vivenciar os momentos. Não consigo entender pessoas que passam shows inteiros filmando com o celular, por exemplo. Ou pessoas que fotografam todas as obras de um museu. Tenho certeza que nem vão ver depois. Entretanto, valorizo as lembranças proporcionadas pelas fotos, ainda mais porque tenho péssima memória. Então, a fotografia me ajuda muito a ativar recordações de momentos que certamente seriam esquecidos.

Eu que agradeço por suas palavras tão carinhosas e sensíveis.

Abraço de leoa. :)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.