Razões pra ter fé nas pessoas #1

Eu tinha acabado de desembarcar em Santiago, no Chile. No aeroporto não tinha Wifi gratuito e muito menos um lugar pra comprar um chip de telefonia móvel. Sem muito dinheiro, resolvi arriscar e pegar um ônibus — li na internet que seria bem fácil e, de fato, foi.


Tirando a despedida (que faço bem com um Adios ou um Hasta la vista ou Hasta luego), eu não falo nada de espanhol. Mas estava na minha cara que eu estava com medo de ir parar no lugar errado, como sempre faço até no Brasil. Uma mulher estava ao meu lado e me perguntou pra onde eu estava indo. Meio desconfiada eu respondi o nome da estação do metrô e ela me perguntou pra qual bairro eu queria ir. Tentei explicar mas a comunicação não estava legal então mostrei pra ela em um mapa. Ela me disse que me levaria até a estação que eu precisava chegar.

Durante o trajeto, nós não conseguíamos conversar muito por causa da língua. Mas quem via de longe parecia que éramos amigas. Ela me mostrou fotos do seu casal de filhos adolescentes. Uma menina e um menino, lindos. Me contou sobre a cidade que ela mora, uma pacata cidade ao norte do Chile com praia e clima ameno. Me falou o que gosta no país e mencionou a vontade de conhecer São Paulo.

Eu não estava falando quase nada mas feliz por me sentir tão confortável. Tão confortável que até esqueci que estava desconfiadíssima no início. Então descemos do ônibus e fomos para a estação de metrô. Me peguei pensando de novo que aquilo estava bom demais pra ser verdade. Até que ela me viu cheia de malas e pagou minha passagem. E resolveu me levar até a estação que eu precisava.

Quando chegamos na minha estação final, ela me surpreendeu, mais uma vez, me dando um abraço apertado e me desejando uma excelente estadia no Chile. No momento eu agradeci (repetindo Muchas gracias várias vezes) e fiquei com aquele sentimento de gratidão por ter encontrado alguém assim pra me ajudar.

Foi alguém que me ajudou naquele momento e que provavelmente eu nunca mais vou ver na vida. Ainda que eu encontre, seria muito difícil reconhecer. Mas com certeza a memória dessa situação eu vou ter viva por um bom tempo.

O mundo está cheio de perigos, nós sabemos disso. Mas eu realmente acredito que existem muito mais pessoas boas no mundo do que ruins e que sempre há razões, ainda que pequenas, pra gente ter fé nas pessoas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ana Paula Gomes’s story.