Viajando sozinha. Hãn?

Vez ou outra algumas amigas comentam comigo que eu sou louca por viajar sozinha. Eu não acho mas confesso que nem sempre foi assim. Eu tinha um receio muito grande de viajar só. Sempre ficava pensando que seria chato não ter alguém pra dividir as descobertas e as histórias. Até que eu tive que viajar sozinha.


Tudo começou quando ganhei uma viagem para o FISL (Fórum Internacional de Software Livre, 2013) em Porto Alegre. Ainda não conhecia a cidade e estava muito animada, afinal nunca tinha ido para o Sul do Brasil e nem pra este evento. Porém estava preocupada em passar 5 dias em uma cidade que nunca tinha ido e sem nenhum amigo por lá. Comentei com umas amigas a respeito e uma delas falou mais ou menos assim:

“Viajar só é muito bom, você vai descobrir mais o lugar. Esteja aberta e você vai ver que vai ser uma experiência boa.”

Com aquele frio na barriga topei (claro) e fui. Chegando lá o frio não era apenas na barriga. :P Apesar da temperatura baixa (era o mês de julho, coincidentemente), não fiquei impedida de desvendar a cidade. E a minha amiga estava cheia de razão. Foi um tempo bom! Aluguei uma bike e conheci o centro histórico, aprendi sobre coisas místicas com uma galera em um bar flutuante, fui a um bar e tomei uma cerveja sozinha no balcão. Vi um dos pôr do Sol mais lindos da minha vida. Com essas experiências, eu pude aprender mais sobre mim mesma e fazer exatamente o que eu queria fazer.

Pôr do Sol na Usina do Gasômetro (saudades do meu cabelo grande e parcialmente igual ao da Beyonce hahaha)

Após dessa viagem, aconteceram muitas outras e eu me senti muito mais confiante. Quando me mudei para Belo Horizonte, não conhecia ninguém e eu tive de fazer muitos programas sozinha pra conhecer a cidade. Não foi ruim. :) Na verdade, acho que aprender a ficar só faz bem pra todo mundo. Sim, “É impossível ser feliz sozinho” mas nem sempre você vai poder contar com todo mundo e está tudo bem com isso!

Depois de morar sozinha e dessa experiência com POA, percebi que você pode se divertir sem necessariamente planejar com alguém. Uma coisa deixo clara: viajar com boas companhias é sempre muito massa! Eu tenho boas memórias de viagens com amigos e lembro sempre com saudades e vontade de repetir de novo. Mas falando ainda sobre esse tema “viajar sozinha” ainda existe preconceito e medo.

Preconceito porque em pleno século 21 ainda existem pessoas que acham super estranho uma mulher estar viajando sozinha. Logo vem os questionamentos: não tem amigos? Não tem namorado? É chata demais? Não tem medo? É como se fosse inaceitável a coragem e a independência de divertir-se só.

O medo é uma das maiores barreiras. Medo de não divertir-se, da solidão pesar e o pior de todos: ser perigoso. Como mulher, é muito mais complicado encarar ruas desertas, culturas diferentes (sob o ponto de vista de como deve se comportar) e o risco de assalto e, principalmente, assédio e estupro. O quesito “estar só”, acompanhado de qual a região, horário e segurança, acaba pesando mais quando resolvo fazer qualquer programa sozinha. Infelizmente temos esse problema. :( Recentemente viajei sozinha para Santiago (Chile) e fiquei em um quarto coletivo em um hostel. Escolhi um hostel por dois motivos: mais econômico e a possibilidade de conhecer pessoas. O problema é que no quarto coletivo só tinha eu e um rapaz; a recepção do hostel não funcionava a noite e não tinha muita gente lá. Pra completar o quarto ficava em um porão. Parece até brincadeira! hahaha Este rapaz começou a me fazer várias perguntas muito suspeitas e ter umas atitudes estranhas. Fui dormir morta de medo mas, graças a Deus, não aconteceu nada. No dia seguinte troquei de quarto. Às vezes essas coisas acontecem. Foi uma exceção em tanto tempo viajando mas precisamos estar sempre preparados, não é mesmo? Se você já usa ou tem vontade de usar o CouchSurfing em suas viagens, aqui algumas dicas de como usá-lo quando se está viajando sozinha. (Thanks, Álvaro Justen).

Tour de Bike por uma vinícola no Chile

A mensagem que quero deixar é que não é nenhum bicho de sete cabeças viajar só. Ninguém deve deixar de viver seus sonhos por estar esperando por outra pessoa. A vida é curta demais pra negar uma viagem! :)

Agora estou em mais uma viagem sozinha, desta vez pela América do Norte. Espero voltar com boas histórias!

Acho que ainda acabo escrevendo um blog de viagens. Enquanto este tempo não chega, compartilho aqui mais esta experiência e espero eu sirva pra incentivar vocês (homens e mulheres) em alguma aventura por aí.

Até a próxima e boas viagens!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.