Para o grande amor da minha vida (e todos os pequenos)

Eu estou te esperando desde que me conheço por gente, eu acho que você vai chegar devagarinho e engolir meu mundo até ele ser nosso. Eu já te achei na rua tanta vezes e já quis me jogar nos seus braços para você não descer do ônibus.
Você é gentil com a sua mãe e quer correr o mundo, mas se preocupa em deixa-la sozinha, assim como eu. Você já se encontrou na vida e também já se perdeu tantas vezes que já deixou de contar e hoje só segue buscando um mundo, ou dia quem sabe, melhor.

Eu já te achei em toda esquina que estive, da última vez você era marroquino tinha sotaque e queria ter sido médico. Mas tudo bem porque da próxima você vai ser cantor, ator, engenheiro. Grande amor da minha vida, eu não estou mais te esperando.

Eu acho que você vai crescer em mim. E eu vou nascer um pouco em você também, então não tem cara certo, mina certa, momento certo. A única coisa que existe é vontade. É o desejo de compartilhar esta trajetória nessa modernidade louca, entendendo um pouco do outro e nada de tudo.

Grande amor da minha vida e todos os outros que foram e serão, eu não espero mais eu faço. Eu saio tomando sorvete na rua, eu rio alto, eu tropeço e caio com frequência e eu não espero mais te encontrar, eu espero me encontrar. E se possível com você, um você que já virou nós.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.