não largue tudo para ser feliz

pensa em fazer mudanças radicais em sua vida? está esgotado? leia esse texto antes…

a primeira premissa para a sua mudança é: a transformação mais saudável e provável de dar certo a longo prazo é a mudança gradual.

transformação não é necessariamente cessar um ciclo drasticamente e iniciar outro totalmente diferente. implantar propósito na sua vida não é escrever uma frase de efeito sobre mudar o mundo e, assim, mudar a sua vida completamente para seguir esse novo fim. transformação é você tomar consciência do que você quer para a sua vida e passar a mudar seus hábitos diários gradualmente.

essa mudança drástica que vemos muitas pessoas fazendo não é somente por conta de cada um encontrar o seu caminho ideal de vida e, assim, decidir largar o emprego, empreender, parar de beber, de comer carne, começar a meditar, virar nômade digital, entre outras ações que vemos acontecendo na vida de muitos atualmente. não é isso (apesar de eu recomendar toda essa lista de atividades que acabei de listar). essa mudança drástica que vemos é um sinal de estafa em massa - estafa mental, estresse excessivo, ansiedade multiplicada e extrema falta de equilíbrio de vida. daí vem a necessidade de cada um mudar radicalmente de vida por não aguentar mais aquela antiga que quase todos levam.

mas mudanças radicais não são necessárias e, na minha visão, também não são saudáveis. nenhuma mudança drástica é sustentável com raras exceções de, por exemplo, internação por vício. o que seria uma transformação saudável de vida então? vamos ao que eu entendo como resposta para essa pergunta:

passo 1: autoconhecimento. esse termo vem sendo tão falado já algum tempo, mas devemos parar para refletir o que é se conhecer. o que devemos conhecer sobre nós? bem, a palavra chave é o seu funcionamento. o que te faz bem, o que te faz mal, o que te dá energia e motivação, o que te tira energia e motivação, em o que você acredita, qual é o estilo de vida que te impulsiona, como você se enxerga perante o mundo, o que você gosta de aprender, com que tipo de pessoas você se identifica, e assim vai. não tem como você transformar a sua vida para melhor se você não conhecer o seu funcionamento. não tem como você fazer escolhas favoráveis sem entender o que te impulsiona e o que te faz bem.

passo 2: a sua vida hoje. faça um diagnóstico frio e completo de como você está conduzindo a sua vida hoje em termos de carreira, família, amor, saúde, hobbies, interação com outras pessoas, inteligência emocional, propósito e todos os aspectos que fazem parte do seu dia-a-dia. essa forma que você está levando a sua vida é congruente com o seu funcionamento? te faz bem? te impulsiona?

passo 3: plano de ação. cruze o seu funcionamento (passo 1) com o seu diagnóstico (passo 2) e veja como você pode transformar os seus hábitos gradualmente para passar a viver a sua vida de uma forma que faça sentido pra você. de uma forma que agregue valor para você e aos que estão a sua volta. e comece a fazer isso gradualmente. aposto que você vai perceber tantos resultados positivos em pequenas coisas que mudar no seu dia-a-dia que você vai querer, cada vez mais, continuar essa jornada de auto-percepção e mudanças de hábitos para a sua vida. assim, o seu auto-desenvolvimento e o foco na sua felicidade passam a se tornar um hábito por si só.

contando um pouco da minha prática desses passos, já transformei várias atividades do meu dia-a-dia, como: passar a meditar todos os dias antes de dormir (que me proporciona foco e tranquilidade), diminuir a bebida alcóolica (porque já percebi que o álcool tira a minha energia), incluir mais vitaminas na minha alimentação e diminuir a carne (pois me sinto muito mais disposta dessa forma), agradecer todos os dias antes de dormir por todas as coisas que aconteceram no dia e pessoas que encontrei ou que estão presentes na minha vida (percebi que, se não fizer isso, esqueço quanta abundância possuo), estar mais presente no convívio com a minha família (às vezes estamos juntos, mas a nossa mente está em outro lugar), colocar mais amor e carinho no convívio com as pessoas (me alimenta e torna as minhas relações mais harmônicas e agregadoras), e assim eu poderia fazer uma lista bastante grande de aspectos que eu venho transformando desde que comecei essa jornada em meados de 2013.

muitas vezes, não é necessário trocar de carreira, mudar de cidade ou fazer qualquer outra mudança mais relevante na sua vida para ser feliz. basta entender o que te faz bem e passar a fazer pequenas escolhas que te levam a vivenciar essas experiências com mais frequência. com amor. com autoconhecimento.

você tem o livre-arbítrio para escolher uma vida mais consciente.

……..

Esse conteúdo foi útil pra você?

se sim, cadastre-se na newsletter da Comserventia e receba os conteúdos escritos pela Ana Seraceni em primeira mão : www.comserventia.com.br.