Sobre o tempo e a maturidade

E olhando no relógio vejo que já são 8 da noite, o calendário marca que é outubro e como nos surpreende o tempo que vem nos engolindo e que as vezes passa tão devagar. Refletindo sobre o tempo lembrei do Chronos e do Kairós. O primeiro é aquele contado por números, as horas, os dias, os anos já o segundo, ‘o tempo oportuno’ é o que leva para maturar, o tempo da natureza. Quando pensei em empreender e o que queria fazer com o meu propósito precisei aprender muitas coisas e entre elas, um aprendizado importante é de respeitar o Kairós. Enxergar o plano de negócio, cuidar se o retorno vem é importante e também olhar e acreditar no tempo de aprender qual é o meu negócio e refletir o porquê estou fazendo o que faço é fundamental. Meu negócio precisa ser sustentável e também é necessário perceber que nem tudo se conta no relógio. Acreditar nas nuances que existem, na experiência que adquiro e que faz com que o tempo acelere ou passe um pouco mais devagar. Ter atenção ao tempo oportuno das coisas me traz um olhar para o todo, para o ecossistema. E então a colaboração, a interação e o propósito começam a reger de forma mais clara e em um círculo virtuoso me conecto cada vez mais com possibilidades de realizar experiências importantes e o passar das horas, dos dias e dos meses não mais me surpreendem e sim me satisfazem por ter tido tempo para ver o que o tempo traz.