Da rosa à lama
de Hiroshima à Mariana
a falta de amor
é a maior tragédia humana

e a dor por toda parte
onde explode a ganância
escorre pelo rio
da vaidosa ignorância

ceifam vidas e se omitem
por trás de uma falsa trama
dorme em suas suítes
em lençóis de alta conta

e a comida já deixou de ser fonte de energia
e a água da torneira já não chega na pia

não há graça na revolta
mas vital motivação
de descobrir o sujo
e drená-lo pra razão

é possível que em tempo
ache outra soução
mas, enquanto, segue atento
pra pegar a contramão

esse poço tão profundo
tem valor super-ilegal
o que faz viver o mundo
não é só o teu real

muitas vidas segue livres
e todas vivem mudando
há aqueles que sorriem
e os que estão chorando

desastre ou tragédia
humanos anti-naturais
minérios nas traqueias-artérias
de covardes canibais

Like what you read? Give Ormando a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.