Dudjom Lingpa — Fonte: http://treasuryoflives.org/biographies/view/Dudjom-Lingpa/9688

Dudjom Lingpa na “Essência Vajra”:

“Quando você se estabelece em uma espacialidade na qual não há cogitações ou referentes para a atenção, todos os fenômenos se tornam manifestos, pois o poder da consciência está desimpedido.

Os pensamentos se fundem com os seus objetos, desaparecendo ao se tornarem não duais em relação aos objetos, e se dissolvem.

Uma vez que nem um único pensamento tem um referente objetivo, eles não são pensamentos de seres sencientes; em vez disso, a mente é transformada em sabedoria, o poder da consciência é transformado e a estabilidade é alcançada.

Entenda que isso é como a água que está livre de sedimentos.”

Livro: ‘Aquietando a Mente — Ensinamentos sobre shamatha, segundo a Essência Vajra de Dudjom Lingpa’ , página 189.

— —

B. Alan Wallace:

“Nesta seção de abertura da Essência Vajra, Dudjom Lingpa revela a natureza da mente e, então, nos mostra como tomar as nossas próprias mentes, com todas as suas aflições e obscurecimentos, como o nosso caminho para realizar o estado da base relativa da consciência, a consciência substrato.

E, uma vez que a mente tenha se dissolvido nesse vazio luminoso e de bem aventurança, ele nos mostra como atravessar os nossos fluxos mentais individualizados e realizar a nossa verdadeira natureza — a natureza prístina, que nunca foi maculada por nenhum obscurecimento.

Ele tornou esse caminho claro, acessível e convidativo.

Sem a realização de shamatha, nenhuma de nossas meditações nos trará uma transformação irreversível e liberação.

Mas, uma vez que tenhamos estabelecido as nossas mentes em seu estado natural, o caminho completo para a Grande Perfeição está diante de nós, acenando para que realizemos a nossa verdadeira natureza nesta mesma vida.

Não pode haver aventura maior, nenhuma fronteira maior para explorar e nenhuma liberdade maior a ser realizada do que esta Grande Perfeição, o sabor único de samsara e nirvana.”

Livro: ‘Aquietando a Mente — Ensinamentos sobre shamatha, segundo a Essência Vajra de Dudjom Lingpa’ , página 190.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.