Yoga Nidra : “Ambiente” (Relaxamento)

Procure descontrair, adotando aquela posição na qual o seu corpo fica totalmente entregue a força da gravidade.
Sinta mais o peso do corpo e use essa sensação para afrouxar mais e mais.
As pernas pesam gostosamente, os braços ficam afrouxados no solo.
As costas vão descontraindo com uma sensação gostosa percorrendo a musculatura de sustentação da coluna.
Afrouxe os ombros, descongestione toda a volta do pescoço, sinta que todas as contrações vão se dissolvendo na nuca, no couro cabeludo e na face.
Suavize a expressão facial, descontraia os maxilares, lábios, a língua e a garganta.
Imagine-se num ambiente construído por você mentalmente, pode ser uma sala, uma gruta aconchegante, um platô no topo da montanha.
Esse é um ambiente só seu, decorado a seu gosto, com suas cores prediletas.
Visualize tudo com riqueza de detalhes.
Sinta o conforto de ter esse local ao qual só você tem acesso.
Neste ambiente, sinta-se recarregar de energia, vitalidade, saúde e bem estar.
Neste local, suas células se reabastecem, você ganha novo dinamismo e todos os seus órgãos ficam revitalizados.
Deixe-se ficar por mais algum tempo descansando e desfrutando deste local.
Logo mais quando retornar você estará com uma expressiva sensação de paz e satisfação, então traga consigo esse bem estar que este relaxamento lhe proporciona e retorne com mais disposição, entusiasmo e alegria, para viver, amar, sorrir e trabalhar.
Agora, vá retornando aos poucos sua consciência para os cinco sentidos, do mais sutil, para o mais denso, ouça melhor os sons a sua volta, sinta mais o perfume do ar, mova um pouco a língua, reativando assim o paladar e finalmente, comece a mover os dedos das mãos estimulando o tato.
Mova também os pés.
Comece a ampliar esses movimentos, espreguiçando, esticando-se intensamente, agora dê um sorriso gostoso de satisfação e alegria.

Texto extraído do livro “Yoganidra: muito além do relaxamento” feito por Mestre Victor Lino de www.prakriti.com.br

Trilha sonora: https://www.youtube.com/watch?v=1ZYbU82GVz4

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.