O pai que nasce em mim

~ Ser pai é nascer de novo. Inclui a gestação, a ansiedade, angústia, e parto. É porque os pais nascem antes do tempo que são levados acreditar que o mundo os olha do alto e de frente, anunciando os deveres, as responsabilidades e as ciências de que deve ser ocupar, zelosamente, daqui em diante. O mundo é assim, meus caros! irrefletido para quem não viveu em seus âmagos. Por isso é preciso muita coragem para dizer que o Ser-Pai, pequenino, tem seu próprio tempo. De um lado as angústias e inquietudes, de outro a pureza do nascimento por vir, não a de seu fruto, mas ambos, o seu e o dele. Ser-Pai é processo conjunto, entre filhos: um nascerá pela primeira vez, outro pela segunda. Como se sabe ser Pai sem conhecer como se foi sendo filho constitui-se, afinal, questão profunda. Haverá o que dizer, que caminho ou conduta? Não se sabe, embora isso: quando nascem os dias, quando chegam as horas em que é preciso se revestir de sonhos para pousar as melancolias, para interromper o fluxo das dúvidas, para calar a ansiedade, é o momento de olhar no ventre do tempo, aquela gestação adiantada por onde navega e flutua o ser colocado entre a dúvida e a vitória: serei pai ou já sou? Eis a pergunta de muitos. Pois saiba que já é desde o princípio. Resta encarar a vida de ontem como a força de hoje, existência serena e tranquila; porque Ser-Pai, antes de tudo, é deixar-se morrer (o de antes) e nascer novamente para encarnar tranquilidade sem fim.


{comentário} Descobri que sou pai de um menino que agora repousa inocente no ventre de minha esposa. Que sentimento indizível este! Faltam-me palavras para situar a vista de todos esse lastro de felicidade que vêm nas hora mais abatidas que possamos vivenciar. Escrevi esta pequena prosa pensando no quanto foge à cultura comum, mediática, as palavras para dizer o que se passa com quem vai ser Pai pela primeira vez. No geral, diz-se “maternidade”, e pouco à respeito da paternidade. Afinal, o que é ser Pai? Não nas ideias; todos as sabemos (inúmeras são as imagens). Ser Pai envolve a esfera do nascimento; é como nascer de novo, antes da hora, ou no exato minuto em que se tem os filhos nos braços para que se expresse o amor no mundo concreto. Até lá pais de primeira viagem experimentam as dúvidas e inquietudes, que só não são ditas, como interditas, porque endurecem as prerrogativas machistas de que homem apenas gera o fruto, deixando o resto com a mulher. Não creio nisso absolutamente! Por isso é importante que haja uma cultura paterna para o que Pai possa compreender o processo em que vive sendo um Ser de firme amor.