Guardiola quer incendiar o City para trazê-lo das cinzas

A eliminação para o Monaco pelas oitavas de final da Uefa Champions League — a pior participação de Guardiola como treinador— deve abrir as portas para uma nova etapa na história do Manchester City. De acordo com o jornal inglês Guardian, o técnico espanhol pretende reformular a equipe inglesa e 18 jogadores já estão com seus nomes na balança para a próxima temporada.

A lista apresentada pelo jornal inclui jogadores com contrato vigente somente até o final dessa temporada, jogadores emprestados que devem ser negociados em definitivo e alguns outros que tem sua saída especulada, como é o caso do argentino Sérgio Aguero e do belga Vincent Kompany, que tem convivido com lesões, entre outros nomes.

A lista completa inclui os seguintes jogadores: Yaya Touré, Gaël Clichy, Willy Caballero, Pablo Zabaleta, Jesús Navas, Bacary Sagna e Tosin Adarabioyo (contratos até o fim da temporada), Joe Hart, Eliaquim Mangala, Samir Nasri, Wilfried Bony e Jason Denayer (jogadores emprestados), Sérgio Aguero, Vincent Kompany, Aleksandar Kolarov, Fabian Delph, Fernando e Kelechi Iheanacho (jogadores que têm sua saída especulada).

Laporte é sonho antigo de Guardiola

O periódico Guardian afirma ainda que Guardiola teria 150 milhões de libras (aproximadamente R$ 575,2 milhões) para reforçar o elenco para a próxima temporada e alguns nomes já começaram a ser sondados pelo técnico espanhol. A prioridade de Guardiola é a defesa e três nomes seriam esperados em Etihad, são eles: os laterais Dany Rose e Kyle Walker, do Tottenham e o zagueiro Aymeric Laporte, do Athletic Bilbao, sendo esse sonho antigo de Pep.

O brasileiro Ederson é um dos pedidos de Guardiola para o gol inglês.

Com as sucessivas falhas de Claudio Bravo no gol inglês, o treinador estaria à espera de um novo goleiro e o nome de Ederson, goleiro brasileiro do Benfica surge como um provável reforço, assim como Alexis Sanchez, que chegaria para substituir uma possível saída de Aguero.

Com isso, Guardiola mostra que não está satisfeito com a equipe que tem em mãos atualmente e procura elevar o patamar da equipe, ao mesmo passo que elimina os jogadores que não lhe serão úteis em seu plano de jogo. A debandada e as prováveis contratações são uma tentativa de deixar o time de Manchester no nível de seu treinador, que após o maior fracasso de sua carreira, promete incendiar o time para trazê-lo das cinzas, mais forte, mais ambicioso e, para quem sabe enfim, ser uma equipe mais vitoriosa, assim como é seu técnico. O perfeccionismo de Guardiola não vai aceitar uma eliminação precoce numa competição tão importante, assim como não vai aceitar jogadores “tapa-buraco”. Guardiola não vai aceitar nada menos do que o necessário para ser o campeão que sempre foi e se tiver que queimar jogadores para isso, que seja. O que está em jogo aqui é o nome de um dos maiores treinadores do mundo. O que está em jogo é o sucesso absoluto.