Vou te contar sobre alguns desafios de ser autônoma!

Desde março de 2015 optei pela vida de autônoma, ou seja, crio, planejo, produzo e executo meus projetos, de acordo com um posicionamento muito pessoal. Procuro seguir meu coração em relação às pequenas e grandes decisões.

Sei que para muita gente, seguir o coração é algo absurdo, mas vou te contar que tem funcionado pra mim!

Mas, uma das perguntas que me fazem é: porque ser autônoma?

E respondo: para ser livre! Sim, acredito nessa possibilidade! E a primeira coisa é definir o que é liberdade pra mim:

Liberdade, pra mim, é ter voz ativa quanto aos meus projetos, ter uma real flexibilidade de horário, ser autora da minha vida profissional e consequentemente pessoal!

Claro, a gente rala pra caramba, o dinheiro não cai na conta todo dia 15, tem dia que trabalho como louca, tem dia que dou umas paradas no meio da tarde pra ficar à toa! Trabalho nos finais de semana e feriados, mas, procuro tirar as sextas para vagabundear!

E assim vou seguindo o ritmo! Mas, tem um desafio que pra mim é grande: lidar com a falta de entendimento das pessoas em relação à minha escolha.

Vou explicar: a maioria das pessoas que convivem comigo estão acostumadas com o crachá, o ponto, o horário rígido — segunda a sexta, de 08 às 18 horas. Elas não entendem que o autônomo geralmente (1) ama o que faz; (2) produz na hora que a mente funciona melhor — isso pode ser de madrugada, de tarde, no início da noite; (3) que às vezes ele se propõe a dar um descanso, mas surge uma oportunidade mega legal e o feriado inicialmente previsto é cancelado — claro que se você tiver planos com a família, vai viajar, você tem que priorizar!!!; (4) ter flexibilidade de horário não significa que você está a disposição das pessoas, né?

Não sei se estou conseguindo explicar, mas, fico profundamente irritada quando me perguntam, quase todos os dias, se eu vou trabalhar…cara, eu trabalho todo dia, mesmo quando parece que não trabalho…

E, no final das contas, eu lamento muito, caríssima, se o que eu faço é tão legal que parece que estou de férias o tempo todo! Lutei mais de 15 anos para conquistar isso!!! :-)

Ninguém falou que nadar contra a maré seria fácil. Mas, te digo que isso não é uma exclusividade minha e é possível para você também! Tem que ter clareza, ousadia e ação! Vamos nessa?

Um grande abraço,

Andrea