Não, o marketing tradicional não morreu.
Thiago Vieira
419

Olá Thiago, tudo bem? Que texto, que explicação fundamental. Sou intra-empreendedora numa startup de inovação tecnológica que trabalha com simulação virtual (treinamento) e conteúdo especializado de apoio para a alunos da área de saúde.

Sou fisioterapeuta e diretora administrativa da empresa e o diretor geral é médico. Por tratar-se de uma linguagem extremamente especializada, a tentativa de nos aliarmos a uma agência de marketing foi muito frustrante. Tínhamos que escrever todo o conteúdo, eles criavam as imagens, na época, 2012, era basicamente isso que tínhamos: imagens com a logomarca da empresa, e ao final teríamos que revisar e compartilhar a postagem, ponto final.

Não conseguíamos acompanhar isso de forma satisfatória e como todo o negócio acontece em ambiente digital, eu cai em campo atrás de “marketing digital”. Isso tem uns dois anos. Tenho feito cursos e tocado a coisa sozinha, sentindo, claro, que falta muita coisa.

Hoje tenho uma reunião com alguém que vai vir me apresentar uma proposta sobre marketing “digital”. Estou pondo em aspas depois do que aprendi aqui, contigo. Obrigada!

Ah, cheguei nesse texto pela postagem do cardápio que você fez no Facebook! Acompanho você por lá também!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.