Análise da Construção Ofensiva — UD LAS PALMAS

‘’ O futebol para mim é uma paixão. Um sentimento que sigo desfrutando cada vez que vejo uma bola à frente. O futebol é tudo. É uma maneira de desfrutar da vida.’’ — Quique Setién , treinador do UD Las Palmas, em entrevista para o AS.

Se você não acompanha o futebol europeu, especialmente a La Liga mais de perto, provavelmente desconhece sobre o treinador que tem se mostrado muito competente e fazendo os Canários sonharem com vôos cada vez mais altos , partida a partida e não só sobre o resultado, principalmente no aspecto da performance em campo. Quique Setién é o nome da fera no comando do modesto UD Las Palmas , na La Liga ,nesse post analisaremos a construção ofensiva do time dirigido pelo espanhol. O processo de análise de construção ofensiva da equipe será divido em três fases: saída de bola, preparação para ação ofensiva, e ação ofensiva organizada.

Adepto do ‘’Juego de Posicion’’ ,abordagem também usada por vários técnicos famosos, como Pep Guardiola, Thomas Tuchel, e Mauricio Sarri. As características básicas do JdP(abreviação de Juego de Posicion) giram em torno de gerar superioridade posicional,o que de uma forma básica, significa procurar pelo ‘’Homem livre’’ que geralmente se posiciona atrás da linha de pressão do time rival, assim o jogador que recebe a bola tem mais tempo e espaço para ser decisivo em sua ação e criar mais cenários favoráveis a equipe em posse de bola.

Saída de bola:

A equipe de Setién tem uma visão clara de futebol, que é de manter a posse de bola para poder controlar o jogo e assim aplicar sua filosofia de JdP, para isso, entretanto é imperativo que a saída de bola seja feita de uma forma organizada, desde o goleiro, com uma estrutura tática/funcional bem definida. Portanto o goleiro Varas é importantíssimo na filosofia da equipe, sempre ativo e iniciando/reciclando a posse de bola da equipe desde a sua área. Utilizando um 3–3–4 bem distribuído em campo na sua saída de bola, o Las Palmas utiliza da famosa ‘’Saida Lavolpiana’’ ou saída de 3, onde o volante Mesa, volta e forma uma linha de 3 com os zagueiros que abrem o campo e oferecem opções ao goleiro e aumentando essa superioridade na fase inicial de organização da equipe.

Caso não consigam sair jogando com passes bem curtos, o goleiro ou zagueiros optam geralmente pela bola na 2a linha, organizada pelos dois laterais, Castellano(esquerda) e o brasileiro Michel(direita) e com Vicente Gomez no centro. Os Wingers ficam adiantados e formam uma linha de 4 com o atacante e o outro meia, mantendo assim uma estrutura que permite várias possibilidades de passe/movimentações.

Preparação para ação ofensiva:

Passada a fase de construção de jogo inicial, o Las Palmas usa e abusa de usar a bola para atrair a pressão alta dos oponentes e movê-los pelo campo, gerando outros espaços(principalmente pelo meio, área onde o time mais circula com a bola) que podem ser aproveitados pela equipe,nesse processo é fundamental o volante Mesa, mas também com participação dos zagueiros centrais. Os Canários também utilizam muitas combinações de jogadores(triangulações)com destaque para as combinações que ocorrem nas laterais do campo, com participação essencial dos wingers e dos laterais que avançam dependendo da jogada. Michel tem qualidade e velocidade ,acaba se tornando uma das válvulas de escape do time Além de todos esses processos, temos as corridas do ‘’Homem livre’’ , que se posiciona atrás das linhas de pressão do adversário, seja verticalmente(quebrando mais linhas de pressão) ou horizontalmente, e permitindo a continuação da jogada . Assim, o time de Setién busca uma melhor organização na fase de preparação de ataque.

Ação Ofensiva organizada:

Na ação ofensiva organizada, já em campo rival, o Las Palmas dispõe seus jogadores em várias posições e alturas diferentes do campo, permitindo assim diferentes angulações, distâncias, e posicionamento , logo, gerando uma maior quantidade de opções de passe e triangulações entre os jogadores para execução de passes curtos. Uma das ações observadas, é o uso dos Wingers nos espaços de ‘’ponto-cego’’ dos meio-campistas adversários, sobrecarregando também os zagueiros.

Desse modo, o time faz o uso dos laterais assimétricos, com o lateral mais perto da bola se juntando ao volante para evitar qualquer inferioridade numérica/posicional,e o lateral do outro lado explorando bastante o corredor oposto no campo, formando uma linha de até 5 jogadores no ataque , gerando superioridade situacional , não só quantitativa, mas também qualitativa dependendo das características dos adversários, pode se explorar os lados do campo com a velocidade de Michel, velocidade/habilidade de jogadores habilidosos como Tana, Boateng(aquele mesmo), contra muitos dos times que atuam com uma linha de 4 atrás. Além disso, abre mais o campo, gerando amplitude lateral e profundidade.

Válido deixar registrado que, se o oponente estiver muito aberto em campo, os Canários usam o contra-ataque como arma para desestabilizar/ tentar criar oportunidade de gol rapidamente contra o rival. Entretanto a maioria das ações do time de Setién é pautada em ataque organizado e JdP.

“Yo siempre, desde joven, he sentido el fútbol muchísimo, pero no lo entendía muy bien. Hasta que no vi jugar al Barcelona de Cruyff… en ese momento se me abrió el mundo. Empecé a entender que el fútbol era colectivo, que asociándote bien podías hacer que tuvieras el balón todo el partido. Cuando empiezas a correr detrás del balón y no llegas, es cuando te das cuenta de lo que te gusta y no te gusta.’’- Quique Setién.

Observe toda a jogada que resulta no pênalti para o Las Palmas, a paciência, e movimentações realizadas, com o modelo de jogo enraizado, uma obra de arte.

Mapa de passes dos Canários na partida contra o Real Madrid. É possivel ver também a posição média dos jogadores durante a partida. Fonte: @11tegen11

O time do Las Palmas comandado pelo excelente Setién, tem tudo para continuar impressionando na temporada européia , com um modelo de jogo e propostas/funções muito bem definidas e executadas dentro das limitações do clube, se tornando referência tática e futebolística para muitos que gostam do bom futebol.

Na janela de janeiro, os Canários foram atrás de reforços e trouxeram Halilovic( ex- Barcelona) e Jesé Rodriguez( Ex- Real Madrid e PSG) ambos emprestados, mas que podem acrescentar alternativas muito interessantes até o fim da temporada. O futuro parece brilhante para o time das Ilhas Canárias e mais ainda pra quem acompanha a evolução do time e de seu competente treinador.