A humanização pós-mídias digitais

Por muito tempo o meio publicitário foi marcado por uma disputa entre marcas por espaços publicitários em meios diversos. A ideia era estar o mais presente possível e distribuindo a mensagem da empresa para o maior número de pessoas.

Porém, a rápida ascensão e popularização das mídias digitais transformou drasticamente esse cenário. A forma de atuação dos profissionais da área e o relacionamento entre marca e consumidor foram reinventados.

A comunicação até então era vista como uma via de mão única, na qual apenas a marca falava. O relacionamento público era composto basicamente por notas para a imprensa e anúncios.

Foi só a partir da adoção da Web 2.0 e de um novo ambiente de interação e comunicação que o consumidor ganhou voz ativa no processo e passou a dar um feedback para a empresa acerca das ações realizadas.

Com as informações advindas desse novo processo as empresas tiveram a oportunidade de mudar seu discurso, fidelizar o consumidor e construir uma base de fãs e defensores da marca nos meios digitais.

A partir daí os conceitos de co-criação de conteúdo e de storytelling passam a ganhar força e a marca passa a trabalhar o imaginário, as experiências e a estimular conexões reais e autênticas entre consumidores.

A rede hoje está muito mais humanizada e com a eminente chegada da IoT (Internet of Things), esse processo tende a se intensificar cada vez mais. Resta a nós como publicitários adaptar, evoluir e tentar nos antecipar a chegada das novas tecnologias.

Like what you read? Give André Eduardo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.