Ligando os pontos: Oficina de Curitiba, sinfônicas no Rio, Banda Sinfônica em SP — uma “nova”…
Jorge L. Santos
11

É prática comum dele atacar virulentamente ponto.

Ataca qualquer coisa e tudo, sem critério aparente. Não é uma pessoa que dá pra conviver nas redes sociais, já o tenho bloqueado há anos.

Tive uma tentativa de debate com ele uma vez sobre Shostakovich. Postei em meu blog algo sobre a condenação no Pravda e Colarusso escreveu um post chamando Shostakovich de covarde por não sustentar uma posição de vanguarda musical no regime stalinista.

Não consigo, até hoje, deixar de pensar na ironia de um maestro que é funcionário do estado, com uma vida financeira tranquila, xingando um cara que 80 anos atrás achou que não valia a pena ver os amigos morrerem por causa de umas dissonâncias que ele punha nas partituras.

Que conste que Colarusso nunca foi visto chamando Schoenberg de covarde por abandonar o dodecafonismo quando emigrou para os EUA.

Curiosamente, convivi pessoalmente com ele de maneira sempre agradável, e ele foi um dos melhores professores que tive na vida. Suas aulas e palestras são simplesmente memoráveis. Difícil conceber alguém mais contraditório.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.