Vida que rompe e vai

sai
respira
chora
abre o olho
é agora
nasce

fica
perde o abrigo quente
da barriga pequena
o aperto cômodo
troca
vem ver
do lado de fora,
que agora
e pra sempre
será dentro

um mundo de ar
um bando de gente
um tanto de barulho
não tem mais escolha
nem pra aonde voltar
segue

cresce
aparece
obedece
chora, ri e padece

fica moça
estuda
trabalha
se mantenha
pelas pernas
seja astuta
e se for bonita
ajuda

casa
compra casa
faz filho
dois
segue
a ordem
natural das coisas

cuida
se descuida
choro
chora
não vai embora
fica
se arruma
muda
paga
pra ver tudo de novo
acontecer
no outro

e no outro
mais do que nunca
você

poste
leite de vaca
beijo
flor
lanterna
lápis
jornal
manteiga
amor
banco
medo
pizza
dor
roupa
tênis
pênis
batom
pudor
gente
carro
relógio
pijama
pasta de dente
viagem
óculos
vela
calmante
livro
mentira
cansaço
festa
filme
abraço
xale
biscoito
chá
poltrona

nunca se sabe
por que vale a pena
mas vale

silêncio
não estou

para
fecha o olho
acabou

filmou?

Like what you read? Give Andréia Gileno a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.