Muito além da Mulher-Maravilha

ou quais são as outras heroínas das Histórias em Quadrinhos?

É óbvio que pela popular longevidade, época de criação e do último — e excelente — filme retratando a amazona mais famosa de Themyscira, quando pensamos em heroínas nos quadrinhos, automaticamente nos vem a cabeça a filha única da rainha Hipólita, mas não se engane: nem só de Mulher-Maravilha vivem os quadrinhos. Venho hoje com a missão de elencar alguns nomes como :

Criada por Stan Lee e Jack Kirby, Jean Grey teve sua primeira aparição na Uncanny X-Men número 1 de 1963. A revelação de seus poderes telecinéticos deu-se quando a menina viu-se envolvida em um acidente automobilístico. Entre seus codinomes estão Garota-Marvel, Fênix, Fênix Branca e Morte/Cavaleira do Apocalypse Morte, mas nenhum deles é mais conhecido que Fênix Negra que também intitula uma das sagas mais brilhantes dos X-Men.

Para saber mais: leia a saga Fênix Negra escrita por Chris Claremont com arte de Dave Cockrum e John Byrne.

Mesmo não sendo a primeira Batgirl (posto reservado para Betty Kane, que mais tarde virou a Pássaro Flamejante) certamente Bárbara Gordon é a encarnação mais popular da heroína. Também, pudera: só entre sua primeira aparição, em Detective Comics número 359 de 1967 e sua “transformação” em Oráculo (Batman: A Piada Morta de 1988) são 21 anos. Some-se a isso todas as reformulações, reboots e rebirths e temos um total de 51 anos de personagem.

Para saber mais: leia A Piada Mortal escrita por Alan Moore com arte de Brian Bolland e Batgirl: Ano Um escrita por Chuck Dixon e Scott Beatty, com arte de Marcos Martin.

Ororo Munroe, ou simplesmente Tempestade, aos cinco anos, é a única sobrevivente de um desastre aéreo no Cairo em que também estavam sua mãe, a princesa N’Dare e seu pai, o fotógrafo David Munroe. Após uma temporada com marginais na capital do Egito, ela resolve ir atras de suas origens. No caminho, conhece T’Challa (Pantera Negra), tendo com ele um breve relacionamento. Esse envolvimento, mais tarde, culminaria no casamento e divórcio com o Rei de Wakanda.

A primeira aparição de Tempestade (criada por Len Wein — falecido em setembro do ano passado — e Dave Cockrum) foi na Giant-Size X-Men número 1, de 1975. Seus poderes são: Manipulação do tempo, Voo e Percepção de energia.

Para saber mais: leia Tempestade: Morte Em Vida

Muitos foram os portadores do artefato místico Witchblade — uma espécie manopla sobrenatural senciente que se liga ao portador, dando poderes para lutar contra o mal sobrenatural, mas nenhum deles é tão popular quanto a diciplinada policial da unidade de homicídios do Departamento de Polícia de New York, Sara Pezzini.

Saindo um pouco do eixo DC/Marvel, Witchblade foi publicada em 1995 pela editora Top Cow e teve seu reboot, após 20 anos de publicação em 2017, após o número 185.

Para saber mais: Leia os oito primeiros volumes da série.

Uma lista de heroínas dos quadrinhos nunca estaria completa sem uma representante dos mangás. Nesta lista poderiam estar Lucy Shidou, Marine Ryuzaki e Anne Hooji de As Guerreiras Mágicas de Rayearth ou Sakura Kinomoto de Sakura Card Captors. Pensando em personagens mais “sérias” poderia estar na lista a Major Motoko Kusanagi de Ghost in the Shell ou a comandante de operações da NERV Misato Katsuragi de Neon Genesis Evangelion, mas, entre todas elas, fico com a heroína que vai castigar os malfeitores “em nome da lua”.

Sailor Moon tem roteiro e arte da mangaká Naoko Takeuchi e foi publicada pela primeira vez em 1992, tendo seu fim em 1997. Na história a preguiçosa e nada brilhante aluna do ensino médio Usagi Tsukino (Traduzida para o português como Serena Tsukino) salva uma gatinha que está sendo maltratada por um grupo de meninos. Ela então descobre que a gata fala, e que se chama Luna. Luna concede poderes e, a partir daí, Serena se transforma em Sailor Moon que tem como objetivo protejer a Terra contra o Reino Sombrio encontrar outras guerreiras que irão lutar com ela.