Seguidores e curtidas, você precisa mesmo?

Querido amigo,

Estive pensando: Porque nós “precisamos” de mais curtidas e de cada vez mais seguidores? Seria porque isso ajuda nossa autoestima? Ou será que é porque isso ajuda a validar nossa fotografia? Ou seria porque queremos poder, fama, dinheiro e influência com o nosso trabalho? Ou um pouco de tudo isso?

Porque temos que postar uma foto todo dia?

Uma das coisas sobre a internet é que sempre queremos ver algo novo por lá. Amamos visitar blogs e sites que nos dão conteúdo novo.

Com as redes sociais, amamos o ver as pessoas interagindo com o que postamos. Viciados em curtidas, novos seguidores e comentários. Até pagamos por isso. São coisas que nos dão uma ideia de progresso, de significado e alegria quando temos esse retorno, essa aprovação externa.

Mas honestamente, no fim do dia isso é tudo muito bobo.

“Suficiente” nunca é o “suficiente”

Recentemente fiz o link entre dinheiro e os seguidores nas redes sociais. Os dois são baseados em números e para ambos o céu é o limite.

Por exemplo, estamos sempre em busca de mais dinheiro. Não existe um patamar de “dinheiro suficiente”.

Foi feito um estudo com pessoas das classes sociais baixa, média e alta perguntando, “quanto dinheiro você precisa para ser feliz?” E o resultado foi que, segundo elas, precisavam de 10% a mais do que ganhavam para serem verdadeiramente felizes.

É óbvio que precisamos de dinheiro para sobreviver. Afinal, temos que nos alimentar, pagar aluguel, o gás e inúmeros outros custos aleatórios para sobreviver. Mas, por outro lado, nós não necessitamos mesmo de mais dinheiro, ter mais dinheiro certamente é preferível, mas será que isso é realmente uma necessidade?

Com as mídias sociais, é legal ter um monte de seguidores e curtidas. Mas em que momento essa quantidade de seguidores se torna suficiente? Seria quando atingirmos 100 seguidores, ou os mil seguidores, os 10 mil, ou 1 milhão de seguidores?

Existe verdadeiramente um ponto que nos deixará satisfeitos? Acredito que não.

Vamos sempre nos adaptar

Como seres humanos, “suficiente” nunca é mesmo o “suficiente”. Está no nosso código genético. E faz sentido. Queremos mais comida e nenhuma quantidade é suficiente. Queremos mais, e não podemos correr o risco de passar fome.

Quando se trata de dinheiro, somos vítimas de uma adaptação hedônica. Se ganha uma determinada quantidade e nos acostumamos a ela. E no momento em que desejamos mais prazer na vida, pensamos que o dinheiro irá trazer essa verdadeira felicidade.

Independente da quantidade de dinheiro que se ganha, sempre vamos querer um pouco a mais do que temos.

E com as mídias sociais é da mesma forma, não importa a quantidade de curtidas, seguidores ou comentários. Ficamos acostumados e queremos mais.

Meu sonho já foi ter 200 curtidas em uma foto. Quando alcancei esse patamar, ele se tornou o meu novo padrão e sempre que consigo menos de 200 curtidas fico insatisfeito, tenho a impressão de que falhei. Então comecei a sonhar com 300 curtidas, 400, e hoje mesmo com 1000 curtidas isso não me parece ser o suficiente.

Ao trabalho

Então qual é a chave para essa loucura que as redes sociais nos colocam?

Fácil. Pare de usá-las ou decida parar de participar desse jogo.

Estou começando a perceber que muito na vida é parecido com jogar um jogo. Queremos ganhar, mas não fazemos ideia de qual pontuação atingir.

Usamos então as referências externas como quanto dinheiro ganhamos, quantos metros tem o apartamento, quantos e quais carros já tivemos, quais marcas vestimos e qual o tamanho da nossa influência nas redes sociais.

Mas, o problema é que a vida não é um jogo. Não podemos quantificar o nosso valor em números.

“Vencer” na vida não vai além de viver uma vida com um propósito, um significado e compartilhar amor.

Na fotografia, não existe perder ou vencer, mas mesmo assim tentamos usar referências externas para provar nosso sucesso.

Um exemplo disso é quando começamos a quantificar nossos seguidores no Instagram, quantas pessoas conhecemos, ou o quanto nossas câmeras são caras, e quando começamos a nos exibir com a abertura de nossas lentes.

Mas, para ser um fotógrafo de sucesso, você precisa apenas fotografar. Fotos que te tragam alegria, que levem alegria e que transmitam calma e paz. Você não precisa de uma vida badalada para ser um fotógrafo de sucesso.

O que importa no final

Dessa forma, pense que no final de nossas vidas, vamos descansar satisfeitos sabendo que temos um milhão de seguidores em alguma mídia social? Será que conhecer muitas pessoas e ter um nome prestigiado vai trazer paz? Ter viajado pelo mundo inteiro vai trazer mesmo satisfação e alegria?

Ou serão as coisas simples da vida, quando fotografadas, que trarão felicidade? Compartilhar fotos com alguns amigos próximos, ou tirar fotos do que te inspira e fazer fotos que te deixem orgulhoso (mesmo que outras pessoas não se importem).

Fotografia também diz respeito a uma jornada interna, um processo de auto conhecimento.

Ignore as curtidas, os seguidores e o jogo das redes sociais. A única forma de ganhar o jogo das redes sociais é se recusando a jogar pelas regras colocadas pelos outros. Crie suas próprias regras, isso vale para a sua fotografia e também para a sua vida.

Fonte: http://erickimphotography.com/blog/2016/07/26/why-do-you-need-more-likes-or-followers/

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.