Homens: não, eles não são todos iguais

Por: Andresa de Carvalho


Assim como acontece com as mulheres, os homens, claro, também carregam suas desproporções. O grande desafio aqui é conseguirmos nos tornar experts nos detalhes que suas roupas oferecem para garantirmos saídas ideais para transformarmos suas morfologias corporais — cheias de qualidades e defeitos — em um visual absolutamente harmônico.

Vamos começar exemplificando os estilos:

Esportivo natural

É o mais comum entre os estilos porque ele esbanja conforto. Suas cores são básicas — bege, cinza, branco — embora possam se misturar com tons fortes que levantam a produção. Seus sapatos cômodos e em cores que combinem com tudo.

Qual a mensagem o estilo esportivo natural passa?

  • Imagem acessível, amigável e mais esportiva;
  • Alegria e amabilidade;
  • Entusiamo e otimismo;
  • Energia e simplicidade;
  • Praticidade.

Romântico

Usam cores pastéis e geralmente não gostam muito de jeans. Os homens deste estilo podem confundir um pouco com o estilo esportivo natural. Gostam de combinações monocromáticas (uma só cor), e tendem a usar casacos com telas grossas, texturas de quadros grandes e o tal “remendo” no cotovelo, mas têm como características marcantes os tons pastéis, suéteres e como não citar as charmosíssimas gravatas slim e borboleta?

Qual a mensagem que o estilo romântico passa?

  • Imagem receptiva e bondosa;
  • Gentileza e encanto;
  • Calma e paz;
  • Compreensão, abertura e consideração com os demais;
  • Disposição, sensibilidade, entendimento e escuta.

É um estilo perigoso para quem tem planos profissionais audaciosos, mas pode ser lindo de tirar o fôlego. Veja:

Dramático

Os dramáticos gostam de respirar um pouco as tendências da moda, mas o que define o estilo é mesmo a presença marcante, que reproduza uma imagem de força. Mesmo no dia a dia, conseguem atrair olhares em razão do estilo imponente que esbanjam. Adoram cores fortes e sempre fazem combinações desafiadoras, impensáveis para outras pessoas. Os recortes geométricos, assimétricos, golas e punhos com certo exagero são pontos de atenção. Os amados branco e preto, juntos, são campeões do drama.

Qual a mensagem que o estilo dramático passa?

  • Imagem dominante e sofisticado;
  • Agressividade e segurança de si mesmo;
  • Intenso e exigente;
  • Cosmopolita;
  • Atrevido.

Clássico

As pessoas que se identificam com este estilo têm um jeito objetivo, limpoe, ao mesmo tempo, elegante de se vestir. Peças feitas sob medida, com linhas retas, estruturadas e funcionais são as campeãs no guarda-roupa do clássico. Não se interessa tanto pela parte decorativa da produção e acredita muito no custo-benefício de um produto, encontrando uma relação entre a roupa e a sua necessidade. Prefere comprar uma bolsa mais cara, que dure muito, do que muitas mais baratas e que não duram nada. Adoram cores neutras e não dão pinta com roupas muito coloridas. Os tecidos são estruturados e geralmente são peças de alfaiataria.

Qual a mensagem que o estilo clássico passa?

  • Imagem conservadora;
  • Lealdade e fidelidade;
  • Responsabilidade e confiança;
  • Organização e eficiência;
  • Estabilidade e honestidade.

Sofisticado

O estilo sofisticado tem um grau de refinamento, exigência, perfeccionismo e cuidado mais elevado que quaisquer outros. Quem se veste assim sabe apreciar o bom design, o bom material e o bom tecido. É muito atento aos detalhes e dá valor às marcas que garantem qualidade e até certa exclusividade. Têm no guarda-roupas todas as cores e pode se dar ao luxo de comprar e abusar das cores claras, como em um terno, por exemplo.

Uma boa lavanderia e um alfaiate são seus segredos para a manutenção de um guarda-roupa impecável.

Qual a mensagem que o estilo sofisticado passa?

  • Imagem moderna;
  • Exigência e honestidade;
  • Responsabilidade e confiança;
  • Extroversão e personalidade marcante.

Exótico

O estilo mais caro em termos de produção é também aquele que caracteriza seus amantes como únicos. Ao combinar tudo com tudo e manter-se longe de regras nas formas, os exóticos precisam de uma quantidade de peças e acessórios que torna ainda mais desafiadora a maravilhosa tendência do guarda-roupa minimalista. Quando inovam — o que é frequente no dia a dia de um exótico — e essa novidade se torna popular, eles perdem logo o interesse, ainda que seja raro que muita gente segure uma produção exótica. Talvez, um elemento ou outro.

Gostam de chamar a atenção por sua roupa e seus acessórios, e não pelo seu corpo e, mais que gostar de novidades, os exóticos são a própria novidade.

Qual a mensagem que o estilo exótico passa?

  • Imagem original e única;
  • Inovadora e aventureira;
  • Geniosa e livre;
  • Imaginativa;
  • Pouco convencional.

O estilo é uma maneira muito simples de dizer coisas complicadas

Foi o poeta, romancista, cineasta, designer, dramaturgo, ator e maravilhosinho Jean Cocteau quem disse :)


Ternos, esses danados

O caimento ideal de um terno depende da combinação de vários fatores. Tecidos de qualidade, as medidas exclusivas — ou ajustes caprichados — e a quantidade de peças internas, recortadas e costuradas para garantir o caimento perfeito são determinantes. Na hora de escolher é preciso estar atento a:

Ombros

As ombreiras devem parecer inexistentes. O encaixe perfeito nos ombros é um dos principais fatores no momento da escolha de um terno.

O ideal é não sobrar e nem faltar. Entretanto, se não tiver escolha, opte sempre por menos. A sobra de tecido, que deixa o paletó grande e folgado, passa a impressão de descuido e desleixo.

Lapela

A lapela é um dos elementos mais importantes no terno, já que é capaz de proporcionar a forma que irá apresentar, seja dentro de um caimento mais moderno ou tradicional.

Lembrete: As lapelas mais finas — assim como as gravatas — são mais utilizadas pelos jovens, que desejam passar um estilo mais moderno e descolado ou para os mais magros, já que deixa mais tórax à mostra, diminuindo a sensação de corpo pequeno. Enquanto as mais largas — tanto lapelas quanto gravatas — são usadas pelos clássicos, tradicionais e em geral, mais velhos e têm a função de harmonizar o visual daqueles que estão acima do peso. Ao ocupar mais espaço no tórax, passam a sensação de que o corpo em questão está menor.

Assim, podemos considerar que a escolha da lapela está diretamente relacionada com o estilo que você deseja adotar e à sua morfologia corporal. Uma dica preciosa é que a largura da lapela esteja associada à da gravata.

ALONGADA
É o modelo do momento. Mais estreita do que a lapela tradicional (abaixo), costuma ser vista em paletós acinturados. Ideal para alongar a silhueta de quem já é esbelto. Infelizmente, não funciona para barrigudos.

Alta ou fechada
Mais usada em ternos tradicionais com corte reto e, em geral, com três botões. Deixa o nó da gravata mais evidente, chamando a atenção para o rosto e não para uma eventual barriguinha proeminente.

Lenço

A presença do lenço é opcional, mas pode ser um ponto essencial na busca por um estilo, sendo notado como um diferencial.

Porém, você deve ficar atento se o lenço não irá coincidir, seja pelo tecido ou qualquer outro padrão, com sua gravata. Tente evitar que isso aconteça.

Botões

Os paletós mais tradicionais são aqueles que possuem três botões. Eles são um ótima opção para os homens que preferem itens mais sóbrios.

A opção de dois botões é indicada para aqueles que são mais clássicos. Neste o caso, ele irá alongar o tronco e disfarçar a barriga. Vale ressaltar que, o primeiro botão de dois ou o que se localiza no meio (no caso de três) deve sempre estar dentro ou na altura do umbigo.

Os que adotam o estilo mais moderno, ainda podem aderir os paletós com apenas um botão. O indicado é desabotoá-lo sempre que for sentar, para que não haja desconforto ou mesmo tenha possibilidade de danificar a peça.

Tipos de abotoamento

O simples, com uma fileira de botões, é o mais usual, enquanto o duplo ensaia sua volta. Repare como o número e o posicionamento dos botões podem mudar todo o shape do paletó.

Abotoamento simples

Um botão é chique — Usado nos modelos com lapela alongada, só funciona em ternos ajustados. Rende um visual bem moderno, ideal para eventos noturnos.

Dois são confiáveis — É o abotoamento mais visto nos escritórios, pois garante uma modelagem acinturada, alongando o tronco, sem denunciar a sobra na barriga.

Três traz seriedade — Quem faz o estilo tradicional prefere, em geral, o terno de três botões, pois, além do ar de seriedade, destaca o combo colarinho e gravata.

Abotoamento duplo

Abotoamento médio com seis botões — Ele destaca os ombros e ajuda a acinturar. Aqui, só os botões do meio são abotoados — os de cima alargam a silhueta.

Abotoamento alto com seis botões — Ideal para quem está um pouco acima do peso e pretende desviar a atenção da linha da cintura.

Abotoamento com quatro botões — Sim, dá para conseguir uma abertura grande de camisa e gravata ao alongar a silhueta com um jaquetão.

Bolsos

Algumas grifes contemporâneas já estão aderindo os bolsos lacrados. Isso acontece, porque ao deixá-los estufados se tornam horríveis e totalmente sem classe.

Por isso, o indicado é nunca colocar objetos dentro desses bolsos. Deixe-os vazios. O celular, carteira e chaves podem ser espalhados na parte interna do paletó ou mesmo na calça.

Fendas traseiras

Grande parte dos ternos modernos utilizam a fenda única, que criam uma imagem reta e fina. Esses modelos levam uma abertura que varia de 17 a 22 cm.

A fenda dupla é uma herança inglesa. Eles são considerados mais confortáveis e indicados para os homens que estão acima do peso, já que a modelagem se ajusta melhor ao corpo, passando a sensação de mais alto.

Há, ainda, a opção de paletós sem fenda, mas é preciso estar atento ao hábito de usar aos mãos nos bolsos das calças. Se sim, melhor evitar o modelo.

Camisas, essas poderosas

Nessa imagem é possível observar que cada colarinho requer um tipo diferente de corte e botão e, por mais incrível que pareça, a escolha da camisa de acordo com a morfologia corporal influencia muito no resultado do visual. O rosto redondo, assim como o pescoço curto, por exemplo, pedem desesperadamente por um colarinho inglês. Dê uma olhada nas opções:

Sapatos

Quando o assunto é o tipo de sapato masculino muita gente sabe o que quer, mas na maioria das vezes não sabe dar nomes aos bois. Abaixo, um pequeno guia que vai ajudar a superar aqueles momentos em que você vai comprar sapatos e tenta, corajosamente, explicar para o vendedor qual o modelo desejado.


Antes que você me acuse, critique ou explore, ande uma milha nos meus sapatos.

Sim, Elvis Presley segue vivo através de suas frases ❤


Oxford

Este calçado surgiu na Escócia e Irlanda, embora seja chamado de Oxford por ter sido adotado pelos alunos da Universidade de Oxford, podendo também receber os nomes de Balmoral na Escócia, bal-type nos EUA e Richelieu, na França. A característica que define o Oxford são os furos nas abas para os cadarços feitos em uma peça de couro que parte da sola do sapato, enquanto nos outros modelos as perfurações são feitas em peças costuradas no meio do sapato. Outro detalhe muito comum no Oxford é a biqueira de couro (cap toe), mas não é regra, podendo estar ausente em alguns casos. É um calçado formal que fica muito bem com terno e, em suas verões em camurça, com jeans ou sarja em looks mais casuais.

Derby

Também conhecido como Blütcher, este sapato é um derivado do Oxford e muitos tem dificuldade em distingui-los, mas basta lembrar-se das abas costuradas por cima de mesma peça de couro que vem do bico do calçado, coisa inexistente em seu irmão mais velho. É um pouco mais casual que o Oxford, mesmo assim pode acompanhar um traje formal, sem problemas.

O Derby ainda pode ser cap toe, com a biqueira de couro, ou split toe com a peça de couro frontal dividida em dois.

Monk

Um dos mais fáceis de identificar devido a alça de couro presa por uma fivela de metal em sua lateral. O sapato derivado dos calçados usados pelos monges (daí o nome) no século XV tem também uma versão com duas alças e duas fivelas, chamada double monk straps, que anda em alta nos últimos anos. É um sapato formal, mas ainda assim não supera o Oxford.

Mocassim

Criado pelos índios norte-americanos, pode ser facilmente reconhecido pela costura lateral alta que vai da ponta a lateral do peito do pé. Por ser bem casual, a preferência é que seja usado sem meias com jeans e até bermudas.

Loafer

Uma versão mais modernizada e sofisticada do mocassim que teve seu auge na década de 50 quando foi adotada por jovens universitários nos Estados Unidos. Sem cadarço ou fivela, traz, na maioria dos casos, uma faixa de couro na parte superior do peito do pé, algumas vezes adornada por uma placa de metal ou mesmo uma fivela. É bem casual, costumeiramente usado com jeans e calças chino — aquelas com uma carinha de calça de alfaiataria, mas são de algodão — combinadas com camisa ou pólo.

Variações

Brogue — muita gente confunde brogue com Oxford, mas na verdade trata-se de qualquer calçado adornado por aqueles furinhos que o deixam com ar retrô. O sapato com a biqueira de couro recortada com um bico no centro lembrando um pássaro com as asas abertas chama-se wingtip ou full-brogue, half-brogue tem as mesmas perfurações mas a biqueira não é wingtip, é “cap toe”, ou seja, um corte reto na ponta do calçado , existe ainda o 1/4 brogue que tem os furos apenas no cap toe.

Os furos do brogue não surgiram só por acaso, eles eram usados para drenar a água dos sapatos dos caçadores quando estes pisavam em alguma poça ou tinham que atravessar um pequeno riacho ou charco.

Dock side ou Boat Shoe — é uma variação náutica do mocassim que ganhou as ruas nos anos 80, uma característica curiosa é o cadarço, geralmente em couro, que passa por ilhoses nas laterais do sapato, de um lado até o outro. Mais um modelo extremamente casual que pede roupas leves e não deve ser usado com meias.

Driver — mais uma vez o mocassim foi modificado para um propósito específico: este calçado tem a sola em gomos que dão aderência e conforto na hora de dirigir, daí o nome que lhe foi dado.

Side Gore — uma adaptação do Loafer que tem duas tiras de elástico em suas laterais e pode ser usado com blazer e calça em duas versões mais sofisticadas ou com jeans quando tem aparência mais casual.

Muita coisa, né? Mas o resultado que vem desse trabalho tão rico em detalhes não te parece promissor? :)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Andresa de Carvalho’s story.