Designers: Parem de reclamar dos “sobrinhos”. O problema é você.
Paulo Tenorio Filho
44378

Eu te amo cara, vibrei com cada palavra desse texto. Você disse tudo que eu sempre quis dizer desde de que eu era uma sobrinha, e que queria estudar e ter dinheiro pra pagar cursos e aprender sobre comunicação, marketing, criação e design. Hoje estou me formando em tecnologia em produção multimídia. Além do que aprendi no curso e também trabalhando como estagiária na área de comunicação eu imagino se eu começar a ignorar ou criticar a existência do sobrinho ele pode perder o interesse e desistir da formação, que foi o que quase aconteceu comigo no meio do caminho. Me sentia mal porque pensava “poxa, eu só quero aprender, me deixa aproveitar a oportunidade” e fui esculhambada por aqueles que sentaram do meu lado pra me ensinar algo e viram que eu “já tava fazendo o trampo deles”, mas a gente não faz de caso pensado, não existimos apenas com o propósito de fuder o profissional, no meu caso pelo menos essas pessoas que me ensinaram me incentivaram também a querer crescer e apostar em mim, investir em mim.
Eu falo hoje entre meus amigos que ficar reclamando de sobrinho é fácil, e já que o cara se diz tão foda e estudos mil coisas porque não pega essa experiência e vai fazer o nome dele no mercado, vai inovar, e para de reclamar do folheto que queria fazer pra pizzaria que o sobrinho fez e ele não. Isso vale pros designers, pros comunicadores, pras cabeleireiras, pras confeiteiras, pra todo mundo, supere-se!!!
De novo, te amo cara ❤