MUITO ALÉM DO FÍSICO

Para entender melhor a profissão de educador físico, mergulhamos nos mundos de João Victor e Rômulo, buscando entender seu modo de vida , identificação com o ser, com a profissão e com a sociedade.

João Victor

João é um professor de muay thai que há 6 anos faz isso profissionalmente mas luta há 12 anos. Vida fundamentada no esporte, identificação desde a juventude e escolha da carreira com base nisso, ela revela algo de personalidade dele, e escolha não foi apenas por dinheiro mas pelo prazer de fazer o que gosta e se sentir útil, contribuindo para a sociedade.

INDIVÍDUO

1.Qual sentido de sua profissão pra você?

“Representa toda a minha história no esporte e hoje tento passar pros alunos tudo que vivenciei e aprendi.”

2. Por que você escolheu essa profissão?

“Desde novo sempre fui envolvido com esporte e fui me profissionalizando e foi dando certo.”

PROFISSÃO

1.Quais suas expectativas quando escolheu essa profissão? E agora?

“Quando comecei sempre quis ser um profissional de nome, não só como lutador, mas também como professor e estou obtendo isso aqui e fora. E de hoje em diante é ter um espaço, uma própria academia.”

2.Quais as dificuldades encontradas pelos profissionais da sua área?

“Maior dificuldade é a falta de apoio ao atleta, falta bastante incentivo e o professor tem que ter uma boa base pra conseguir patrocínios.”

3.Quais as atitudes que os profissionais fazem que desqualificam sua profissão?

“Alguns têm uma cabeça antiga e querem usar a arte marcial como briga, e esquecem da disciplina, respeito e aprendizado. E também existem muitos profissionais desqualificados para exercer a profissão e prejudicam um pouco o nome da profissão.”

SOCIEDADE

1.Como você acha que a sociedade enxerga sua profissão?

“Poder mostrar não só a arte marcial, mas também ajudar na formação do caráter dos alunos, mostrar disciplina e respeito dentro e fora do tatame.”

2.Qual a influência da sua profissão na sociedade?

“Hoje é em dia é bem mais tranquilo, existia muito preconceito com a luta, pois muitos enxergavam apenas como briga, o que queimava muito o esporte e hoje muitos praticam e já veem como saúde.”
João Victor Benevides Santos, 27 anos

Rômulo

Rômulo é um personal trainer com 24 anos de profissão. Se identificando com o esporte desde cedo, buscou de continuar essa paixão, não sabia o que iria fazer, mas abraçou a profissão que lhe permitisse continuar com o esporte envolvido com o esporte, para dar continuidade a esse estilo de vida e ajudar as pessoas a conhecer esse estilo de vida que ele se sente tão bem em ter.

INDIVÍDUO

1.Qual o sentido da sua profissão pra você?

“A minha profissão tem um sentido porque ela me faz ter um estilo de vida diferente. Desde que eu me entendo por gente, faço exercício físico então tem super sentido na minha vida.”

2.Por que você escolheu essa profissão?

“Eu escolhi essa profissão porque eu amava esportes.”

PROFISSÃO

1.Quais suas expectativas quando escolheu essa profissão? E agora?

“No meu tempo ninguém falava sobre a questão de planejamento de carreira, então a minha expectativa na época, quando escolhi a faculdade de educação física foi para jogar futebol, para continuar praticando esporte, mas atualmente eu vejo que é uma profissão que tem muito a contribuir, tem muito a somar na sociedade e principalmente já está sendo bem mais valorizada do que antigamente.”

2.Quais as dificuldades enfrentadas pelos profissionais da sua área?

“A dificuldade de valorização profissional. Essa é uma dificuldade que permeia por todas as outras profissões, mas na profissão de educação física, a valorização, reconhecimento do que a gente pode estar oferecendo para as pessoas é o X da questão.”

3.Quais atitudes que os profissionais fazem que desqualificam sua profissão?

“Infelizmente na minha profissão, os estudantes em si, entram no mercado de trabalho de forma muito imatura, até mesmo antes de se formar e isso dificulta muito o reconhecimento e a valorização do profissional. Então acredito que a grande dificuldade de hoje é essa, de ter uma profissão que seja reconhecida mas que os profissionais que estejam atuando não queimem etapas antes de chegar a sua maturidade profissional. A profissão já passou por muitas dificuldades de reconhecimento e agora está em crescimento e tem muito a contribuir. Se enxerga mais possibilidades de capacitação e profissionais com mais recursos, porém a imaturidade de alguns profissionais atrapalham essa valorização e união da classe para crescimento ainda maior.”

SOCIEDADE

1.Como você acha que a sociedade vê sua profissão?

“Hoje tem um real valor ser um profissional de educação física. Então a sociedade atualmente já reconhece o profissional de educação física como um profissional que tem um valor agregado bem legal.”

2.Qual influência da sua profissão na sociedade?

“A minha influência é uma influência positiva porque a minha profissão permite que as pessoas percebam o real valor de se manter ativo fisicamente, se manter saudável, na prevenção da saúde e das doenças.”
Rômulo Veras da Silva, 47 anos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

COMUNICAÇÃO SOCIAL- PUBLICIDADE E PROPAGANDA 2016.1
SOCIOLOGIA E COMUNICAÇÃO
PROFESSOR: Jawdat Abu El Haj
PRODUÇÃO: Andressa Queiroz, Eduardo Rosado, Beatrice Vieira, Vitória Salviano
5 de julho de 2016
Fortaleza- CE