Alunos, preconceito, orientação sexual e identidade de gênero

Desde a semana passada venho debatendo com meus alunos temas relacionados à Orientação Sexual e Identidade de Gênero. É a primeira turma onde esse assunto rendeu debates e mais debates.

Dou aulas de Ética e de Psicologia Geral para um curso na área da saúde. É meu papel prepará-los para atender todos os tipos de pessoas da forma mais ética e profissional possível. E é triste perceber uma garotada tão jovem e tão preconceituosa (não que ser velho seja desculpa para tal).

Me preocupa pensar que algumas dessas pessoas estarão em poucos anos atendendo pacientes reais. Essas mesmas pessoas que dizem nas aulas que “2 viados se beijando tem que levar porrada”.

O meu desafio não é nem tentar abrir a cabecinha dessas pessoas para aceitarem as diferenças, meu desafio tem sido o básico: contar para alguns deles que, vejam só, temos que respeitar todas as pessoas!

Um mundo onde temos que ensinar alguns adultos a RESPEITAR outras pessoas. Onde temos que ensinar adultos que não podemos bater em pessoas nas ruas e nem tratá-las mal só porque não concordamos com a forma como elas vivem.

Mas hoje, na saída, eu estava na frente da escola e um aluno (que não é e nem nunca foi meu aluno) veio me agradecer. Ele disse que ouviu a minha aula e ficou muito feliz por ter professores que ainda se preocupam com um mundo melhor para todos.

E de verdade? Só basta isso pra restaurar minha fé na humanidade.