TAB — o que é?

Correndo o risco de ser repetitiva ou desnecessária, sinto que preciso explicar algumas coisas muito importantes que englobam o transtorno bipolar, como por exemplo, as mudanças de comportamento e os tipos de bipolaridade. Esses detalhes são importantes e as vezes passam desapercebidos.

-

TAB — Transtorno Afetivo Bipolar
Também conhecido como Transtorno Bipolar, Bipolaridade, Distúrbio Bipolar ou, como antigamente, Transtorno Maníaco-Depressivo.

Distúrbio associado a alterações de humor que vão da depressão a episódios de mania.
Os episódios maníacos incluem sintomas como euforia, dificuldade para dormir e perda de contato com a realidade. Já os episódios depressivos são caracterizados por falta de energia e motivação, além de perda de interesse nas atividades cotidianas. Os episódios de alteração de humor podem durar dias ou meses e também podem estar associados a pensamentos suicidas.

No Brasil é registrado mais de 2 milhões de casos por ano, isso faz do Transtorno Bipolar uma doença comum, porém, é uma doença crônica que não tem cura e pode durar anos ou até a vida inteira. Também é o problema de saúde que mais causa suicídios no país.

Não se sabe a causa exata do distúrbio bipolar, mas acredita-se que seja influenciado por uma combinação de fatores como genética, ambiente, estrutura e química* do cérebro.
Requer um diagnóstico médico e o tratamento geralmente envolve uma combinação de medicamentose psicoterapia.

As mudanças podem afetar:
O humor: ansiedade, apatia, apreensão, culpa, descontentamento geral, desesperança, euforia, mudanças de humor, perda de interesse, perda de interesse ou prazer nas atividades, raiva, tristeza ou entusiasmo;
No comportamento: agitação, agressão, automutilação, choro, comportamentos de risco, excesso de desejo sexual, hiperatividade, impulsividade, inquietação ou irritabilidade
Na cognição: delírio, falta de concentração, lentidão durante atividades, pensamento acelerado ou pensamentos indesejados;
Sintomas psicológicos: depressão, depressão agitada, episódio maníaco ou paranoia
No sono: dificuldade em adormecer ou excesso de sonolência;
No peso: ganho de peso ou perda de peso;
Também é comum: fadiga, fala rápida e frenética ou falso senso de superioridade.

Existem quatro tipos de Transtorno Bipolar**:
Transtorno Bipolar Tipo I: Períodos de mania (euforia) com humor elevado e expansivo, grave o suficiente para causar prejuízo no trabalho, relações sociais podendo necessitar de hospitalização contrapostos por períodos de humor deprimido, sentimentos de desvalia, desprazer, desmotivação, alterações no sono, apetite, entre outros. Geralmente o estado maníaco dura dias ou pelo menos uma semana, e períodos de depressão de semanas à meses;
Transtorno Bipolar Tipo II: Períodos de hipomania, em que também ocorre estado de humor elevado e agressivo, mas de forma mais suave. Um episódio de tipo hipomania, ao contrário da mania, não chega a ser suficientemente grave para causar prejuízo em atividades de trabalho ou vida social;
Transtorno Bipolar Misto: Períodos mistos, em que em mesmo dia haveria alternâncias entre depressão e mania. Em poucas horas a pessoa pode chorar, ficar triste, com sentimentos de desvalia e desprazer e, no momento seguinte, estar eufórica, sentindo-se capaz de tudo, falante e agressiva;
Transtornos Ciclotímicos: Períodos em que haveria uma alteração crônica e flutuante do humor, marcada por numerosos períodos com sintomas maníacos e numerosos sintomas depressivos que se alterariam. Contudo, não seriam suficientemente graves nem ocorreriam em quantidade suficiente para se ter certeza de se tratar de depressão e mania. Isto é, pode ser facilmente confundida com o jeito de ser da pessoa, “de lua”.

O meu tipo é o II, mas tenho presença de episódios mistos.
Os tipos de Transtorno Bipolar ajudam a entender porque as pessoas portadoras da doença não seguem um padrão de comportamento.

* Uma das evidências de que a doença está relacionada às reações químicas do cérebro é que os remédios dão resultado.
** Há muitas coisas na internet que falam sobre os tipos de transtorno bipolar, porém, o citado nessa página vem do artigo sobre TAB da Unicamp (logo abaixo). Há anos que as opiniões médicas vêm mudando a respeito disso e acho que esse artigo é o mais condizente com a atualidade.

Artigos e sites para consulta:
https://www.einstein.br/noticias/noticia/transtorno-bipolar-vida-montanha-russa
http://www.abrata.org.br/new/oqueE/transtornoBipolar.aspx
https://www.ic.unicamp.br/~wainer/cursos/906/trabalhos/bipolar.pdf