Brasil e Intolerância

Intolerância nasce do desejo de que todos pensem e acreditem igual. Caso acontecesse, a vida empobreceria. Unanimidade emburrece.

Os carregadores de bandeiras do Brasil precisam tomar uma vacina antirrábica antes de saírem às ruas de novo. Punitivismo despolitizado, intolerâncias, hipocrisias e ódio exaltado não resolvem porra nenhuma. Ressuscitar um nacionalismo exacerbado só nos revela a sua cretinice arcaica. Pautas chauvinistas e ultrapassadas estão sendo levantadas e ganham espessura. O perigo dessas ideias vazias de subjetividade é que elas são o alicerce de tragédias já vistas.

Quem não conhece a história do próprio país tende a repeti-la. Não há nada de novo acontecendo. Precisa-se ir além. Democracia não é apenas um sistema. É um norte a se seguir e que se faz com bom senso e ouvidos.

Like what you read? Give André Luiz Bingre a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.