NieR:Automata

NieR:Automata é um joguinho digital de 2017. E é isso.

Mesmo que durante as várias horas que você passa na frente da TV apertando botões ele chegue a sugerir que é algo mais, no fundo ele é só um joguinho e isso é algo raro de se encontrar em meio as novas direções que o entretenimento digital vem tomando.

Tudo bem que há um monte de filosofia, personagens complexos, histórias emaranhadas e explicações que estão além do que se vê ali, mas isso é apenas entretenimento. No fim, a principal mensagem de NieR:Automata é que ele é um joguinho e fica feliz quando você descobre isso. Da mesma forma que você ficará ao descobrir também.

Pense na coisa mais básica que um joguinho faz: você aperta um botão e algo muda na tela, se isso for feito do jeito certo, vai te proporcionar prazer. E isso foi feito de um jeito muito certo aqui. Cada coisa que você destrói te recompensa com felicidade, não por de oferecer algo, mas simplesmente por te permitir fazer isso. Tudo bem que no meio desse processo você vai começar a questionar se isso é correto, mas esse é um momento que você ainda não entendeu que isso é apenas um joguinho e ainda está preocupado em entender critérios morais da trama.

Durante todo o processo que te leva aos 5 finais principais você vai sentir conforto e desconforto em apertar os botões, sendo o desconforto algo que persistirá até que você entenda realmente que isso é apenas um jogo. Aliás, eu já mencionei que isso é apenas um jogo?

Você provavelmente vai se pegar tentando entender todo o lore daquilo, toda a profundidade filosófica que existe em cada um dos protagonistas e nos personagens que os rodeiam. Provavelmente terá muitos momentos de “caramba! Como assim?”. Mas depois de viver tudo isso, NieR:Automata vai te tratar como o que você realmente é: um jogador. E vai te parabenizar por isso.

NieR:Automata é um jogo que acaba e recomeça em si, não simplesmente porque sua história o faz, mas porque a sua história está intrinsecamente ligada ao seu gameplay. Todo o seu visual está intrinsecamente ligado ao seu gameplay, porque, acreditem ou não, NieR:Automata é puro gameplay. NieR:Automata é sobre você sentar com um controle e jogar, ele sempre quer que você jogue e rejogue. Nada do que ele faz é pra impedir seu gameplay, afinal, ele claramente sabe que você quer jogar, porque ele sabe que é pra isso que você compra joguinhos. E ele fica muito feliz quando você joga e compartilha dessa felicidade com você.

Cada momento de tensão, cada final trágico ou engraçadinho, cada novo item, arma ou poder, cada interação está ali pra ser jogada, está ali pra que você aperte botão e faça com que 2B, 9S e A2, os androides que protagonizam a trama, caminhem em seu propósito de servir os humanos. Não aqueles que estão no jogo e são atados a trama, mas aqueles que estão segurando o controle, você.

No fim de tudo, mesmo que os androides não saibam a verdade e tudo na tela acabe com um gosto de niilismo, você, como humano e jogador, sabe que eles cumpriram seu propósito.