Hiperatividade e afobação na fase adulta.

A cabeça.

Alguma vez você já se pegou em um momento onde não consegur controlar sua mente, você se torna um escravo do tédio e procura alguma forma de expressar as coisas que estão dentro de você, afobado você atrapalha as pessoas ao seu redor e acaba se escondendo, se diverte muito com seus pensamentos, mas sozinho.

Esse é um dos sentimentos mais comuns em uma pessoa com transtorno de hiperatividade, estou falando aqui somente de hiperatividade, não TDAH.


Quanto eu tinha 10 anos comecei a notar que muitas vezes, minha mente exercia uma força tão incrível pra me obrigar a fazer algo, que eu não conseguia pensar no que estava fazendo. Isso acabou me trazendo coisas muito boas na vida, atitudes que se eu talvez não tivesse tomado, não teria descoberto muitas coisas boas, porém também me afastou e até hoje me afasta de muita gente, ninguém quer um amigo que fala e ri desesperadamente ou um colega de trabalho que atropela as palavras, uma pessoa em que a mente e a boca competem para ver quem consegue chegar primeiro.

Entramos na parte horrível da história, quando você se sente tão afobado que as pessoas acabam se afastando de você, não é depressão, não é tristeza, é descontrole. Então nós acabamos perdendo muito da vida dessa forma, se afastando, escondendo quem realmente somos através de um quarto fechado com um som no máximo, dançando, cantando e bebendo sozinho.

Isso ai é falta do que fazer. — Fulano

Simplesmente não amigo.

Eu trabalho acordo 6:30 da manhã, eu trabalho durante o dia como programador, utilizando a mente, vou para a faculdade das 19:00 — 22:00 e após isso eu ainda trabalho e estudo para me tornar um programador melhor até as 1h da manhã.

Não é falta de trabalho, é falta de algo, de qualquer coisa que seja, sempre vai faltar algo. Esse desespero, essa falta de alguém ou de alguma coisa, é que nos deixa jogados no sofá fugindo de tudo e todos em um momento, e no outro momento nos deixam desesperados digitando 150 palavras por minuto no editor de texto.


Eu gosto de pensar e gostaria que outras pessoas que tem o mesmo problema também pensassem igual, que nós somos pessoas muito boas, pessoas incríveis, pessoas que tem coragem e que são capazes de fazer o mundo virar pro outro lado.

Isso ajuda, as vezes…

Disclaimer: Esse post e nenhum outro na internet é um diagnóstico, procure um médico!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Angelo Silva’s story.