Barilla confirma o compromisso de proibir as cruéis gaiolas no Brasil.

Barilla, líder mundial no setor de massas, confirma o compromisso de proibir as gaiolas de sua cadeia de fornecimento de ovos no Brasil, após conversas conduzidas pela Animal Equality, Humane Society International e Fórum Animal.

Esta semana, a Barilla, líder mundial no setor de massas, se comprometeu a banir gaiolas de sua cadeia de fornecimento de ovos no Brasil até 2022. A decisão, que vai reduzir o sofrimento de milhares de aves, foi resultado de conversas conduzidas pela Animal Equality, Humane Society International e Fórum Animal, organizações de proteção de animais.

A Barilla é a primeira empresa do setor de massas no Brasil a adotar uma política de ovos livres de gaiolas. Com isso, a multinacional italiana junta-se a outros gigantes como McDonald’s, Burger King e International Meal Company, a proibir o cruel confinamento de galinhas poedeiras no Brasil. Em janeiro deste ano, a Animal Equality também conduziu negociações com a International Meal Company, que se comprometeu a eliminar o confinamento de galinhas em gaiolas até 2022.

Presente em mais de 100 países, a Barilla possui 12% de participação no mercado brasileiro de massas e 3,7% no segmento brasileiro de massas com ovos. A companhia trabalhava apenas com produtos importados grano duro, mas em 2013, lançou no Brasil uma linha de massas com ovos produzida localmente.

A Animal Equality lançou seu Departamento de Relações Corporativas no Brasil, México, Espanha, Itália e Índia em setembro de 2016 com o objetivo de convencer empresas do setor alimentício a acabar com o confinamento das galinhas poedeiras em gaiolas. Entretanto, a melhor forma de ajudar as galinhas é eliminar ou reduzir seu consumo de ovos. Tome uma atitude agora e experimente estes incríveis substitutos de ovos em suas receitas.