Segredinho maldito

TW: abuso sexual infantil

Não conta pra ninguém, esse é o nosso segredinho

Vai ser bem rapidinho, não vai doer

gostando? Tá gostando sim.

É uma brincadeirinha, prometo que cê vai gostar

Ah…uhh…

Você não pode contar isso pra ninguém senão vão brigar com o tio, tu não quer isso né?

Deixa eu te mostrar uma coisa?

Senta aqui no colo do tio, senta

Ninguém vai acreditar em você

Para de chorar, cala a boca sua vadiazinha

Se você contar pra sua mãe ela vai te odiar

Baixa a calça, é só um dedo

Coloca a mãozinha aqui, filha

Se você me ama você vai fazer

Shiiiiuuuu… fica quietinha.

Eles estão em todos os lugares. Caminhamos depressa na rua, sentimos medo à noite, aconselhamos nossos filhos a nunca falar com estranhos. Mas a gente esquece, a gente finge que não sabe, a gente esconde o fato de que eles estão bem ao nosso lado, debaixo do nosso teto, a gente esquece de protegê-los de gente que nem a gente, esquece de notar, esquece de cuidar, esquece que o inimigo dorme no mesmo quarto. Na mesma cama. Bem aqui. A gente esquece que quem tem que cuidar, que quem tem que ser de confiança, que quem tem que proteger é aquele que destrói, que mata, que consome os nossos pequenos. E a gente sabe. A gente sente. Mas a gente se cala. E calando, a gente mata nossos bebês, também. Mãe, tu sabe. Tu já passou por isso. Tu percebe. Acredita na tua filha. Ouve o teu filho. o que não foi escrito e interpreta o que não foi falado. Protege. Ama. Cuida. Desconfie. Sempre. Eles estão bem aqui.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.