https://unsplash.com/photos/NIL8NIvtABc

O que é a vida?

Acho que eu tinha uns 8 ou 9 anos quando aprendi na aula de ciências um lance chamado ciclo da vida, onde os seres vivos ‘nascem, crescem, reproduzem e morrem’.

A partir dessa afirmação minha cabeça de criança entrou em ebulição, e me levou a concluir que: o ciclo era algo inevitável; nenhum ser vivo poderia se safar desse destino; era esse o tal sentido da vida.

Nessa época eu passei a me questionar sobre o que exatamente fazíamos como seres humanos em nosso lindo planetinha azul. Eu não tinha noção, mas o que eu me perguntava sem saber exatamente a pergunta era afinal ‘o que é a vida?’.

Mesmo após quase 3 décadas desse aprendizado ‘chocante’, ainda me pego pensando na tal afirmação, porém com algumas ressalvas que fui acrescentando com o tempo. A parte que diz sobre ‘reproduzir’ já não me parece tão básica. Posso garantir isso do alto dos meus 36 anos e sem a mínima perspectiva de ter filhos.

Quanto à tal pergunta…Se você já assistiu ao programa Provocações na TV Cultura pelo menos uma vez, apresentado pelo saudoso Antônio Abujamra, deve ter percebido que, dentre muitas de suas perguntas capciosas, a que fechava a entrevista era “O que é…a vida?”. Como espectadora assídua do programa, sempre me flagrei tentando responder a tal pergunta para mim mesma, sempre sem sucesso.

Uma pseudo resposta que tentei formular por anos é de que a vida são ‘eternidades’ de sofrimentos e tristezas, com microssegundos de felicidade no meio. E como pra mim isso é uma mixaria maldosa com o ser humano, sempre descarto essa resposta, voltando à estaca zero.

A pergunta me assombra, desde minhas primeiras aulas de ciência até os dias atuais. Talvez o assombro maior é perceber que, diante dessa questão que domina meus pensamentos, não tenho dúvida alguma em relação à última parte do aprendizado: de que morrer é fato que aguardo, do qual não tenho medo algum e não duvido de seu sentido. Apesar disso me parecer meio errado e ingrato da minha parte é talvez a única certeza que tenho.

Enquanto a morte não chega, satisfaça minha dúvida e me diga: afinal, o que é a vida?