O livro 1984, é uma distopia clássica com um tema extremamente pesado, publicado em 1949, por George Orewl, que trabalhou como escritor durante a segunda guerra mundial, vivenciando profundamente as abominações desse período. Devido a isso o livro em sua totalidade é carregado de sentimentos de angustia e pessimismo de uma sociedade com medo de uma possível guerra nuclear. É uma Leitura obrigada para todo estudante de comunicação social, pois, mostra exatamente a manipulação midiática.
A obra leva consigo uma critica social concisa do socialismo e totalitarismo, e conta a historia de uma sociedade situada em Londres, onde todos sem exceções vivem sobre a vigilância de um determinado grande irmão, que temo lema de “zela por todos”. A narrativa se passa através da mente Winston, personagem protagonista, que esta inserido nessa sociedade completamente dominada pelo estado, onde a palavra de ordem é o pseudo coletivismo, porém, todos devem viver sozinhos.
Os cidadãos são divididos em três “castas” , as dominantes, que mandam em absolutamente tudo, que são os membros do partido interno. E a de Winston, partido externo que são as que trabalham diretamente para o partido interno. E os proletas, que seria os proletariados, como conhecemos hoje, que vivem a margem desse sistema. Como se não bastasse tudo isso, eles ainda vivem debaixo de uma burocracia complexas, cheia que regras a serem seguidas, que comando suas condutas e ate mesmo seus pensamentos e expressões faciais.
O livro tem mais de sessenta e sete anos, porém, é excessivamente atual, como por exemplo a vigilância que sofremos hoje nas ruas que estão cheias de câmeras e os radares. Assim como é na obra, não fazemos o certo porque achamos que o correto, mais sim pelo medo, pela coercibilidade imposta, as mentiras ditas como verdades, a manipulação dos meios de comunicação que por favorecimentos acabam transmitindo a seus prolétas, digo leitores, informações que bem entendem. Informações essas muitas vezes faltam com a verdade.
O livro ainda trata de temas com a deterioração da fala, que reduz o número de expressões, isso faz com que a comunicação se torne restrita, impossibilitando o debate e assim o senso crítico, o que faz com que ninguém se levante em revolto, no livro é devido a “noviligua”, um espécie de “ dicionario” criado pelo parti. Poderíamos comparar hoje, com projeto aprovado pela base do governador Alckimin, no estado de São Paulo, que proíbe a discussão de politicas em todas as escola estaduais, o que impede a alunos e professores de manifestarem sua posição. Enfim, uma livro detalhista, que envolve a qualquer um.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.