I HAVE A GOOD FEELING ABOUT THIS

As novas revistas mensais de Star Wars publicadas pela Panini Comics

Capa variante americana, por Alex Ross.

Em 2015, a Marvel Comics readquiriu os direitos de publicação de Star Wars, antes pertencentes a editora Dark Horse, e a edição número 1 lançada em 14 de janeiro de 2015 nos Estados Unidos, marca o retorno a sua antiga casa, onde havia sido publicada entre 1977 e 1986, fazendo parte do universo que ia além dos filmes de George Lucas, conhecido como Universo Expandido. O retorno não poderia ser de outra forma e a HQ acabou vendendo mais de um milhão de cópias, muitas delas em pré-venda, e ainda teve dezenas de capas variantes produzidas por artistas renomados, mostrando que a franquia de maior prestígio da galáxia continua em alta.

Além do título principal, a Marvel ainda publicou uma revista solo do Darth Vader e outra da Princesa Leia, sendo estes os três títulos iniciais deste retorno.

Aqui no Brasil, a editora Panini Comics anunciou a publicação, em um primeiro momento, da revista Star Wars, que a partir da edição número dois irá contar com Kanan, O Último Padawan e Star Wars Darth Vader que terá Princess Leia no mix, também a partir de sua segunda edição. Lançamentos de outros títulos ainda não foram mencionados.

Essas duas revistas foram publicadas em agosto de 2015 e vale a pena ressaltar que neste número de estreia, as duas edições contém apenas uma história, sendo que a partir da segunda edição o mix será composto por duas histórias e devem seguir desta forma nas publicações seguintes.

Com roteiros de Jason Aaron e desenhos de John Cassaday, essa primeira edição de Star Wars se passa entre os episódios IV e V, após a destruição da primeira Estrela da Morte pela Aliança Rebelde.

Destruída por Luke Skywalker, a bordo de seu X-Wing, a Estrela da Morte era a grande arma do Império e peça chave para obter o êxito frente aos rebeldes. Porém, com a sua inesperada destruição tudo mudou. O Imperador começa a questionar os atos de Vader e coloca certa culpa nele pelo desastre ocorrido. Enquanto isso, os rebeldes aproveitam a desorganização do Império Galáctico e executam diversos ataques.

Nesta edição de (re)estreia de Star Wars, Luke Skywalker, Han Solo, Leia, Chewie, R2D2 e C3PO invadem uma grande indústria de armamentos do Império com o objetivo de destruí-la e desativá-la. Porém, a missão se torna mais difícil pela chegada inesperada de Darth Vader.

Em Star Wars Darth Vader, o tempo cronológico é o mesmo da história que nos é apresentada em Star Wars número um e, mesmo que seja a sequência da anterior, pode ser lida separadamente sem qualquer desentendimento da história.

Escrito por Kieron Gillen e com arte de Salvador Larroca, nos é mostrado Darth Vader tentando se redimir frente ao Imperador pela destruição da Estrela da Morte. Decidido a capturar os responsáveis pela sua falha, especialmente o jovem que atrapalhou seus planos em Yavin, acaba recorrendo a um famoso caçador de recompensas.

Diferentemente da outra publicação de Star Wars pela Panini Comics, a Star Wars Legends, essa revista nos passa a nítida sensação de estarmos assistindo a um filme da saga. Possuindo uma alta fidelidade, os personagens são bem caricatos e tornam a leitura um tanto quanto saudosa. Luke segue sendo o grande herói que vemos nos filmes, assim como Han Solo continua o charlatão de sempre.

Como já é de praxe da saga, a parte comédia da HQ fica por conta do C3PO, sendo o mesmo droid atrapalhado que é visto nos filmes, mas, de certa forma, continua a ter o seu papel fundamental para o êxito coletivo. O mesmo pode ser dito de R2D2 que é utilizado constantemente como elemento surpresa no ataque a indústria bélica imperial, por exemplo.

Falando um pouco sobre o roteiro das duas HQs, podemos ver que a perda da Estrela da Morte fez com que o Império perdesse muito em sua luta contra os rebeldes. Darth Vader tem a reputação abalada frente aos seus superiores e isso o atormenta. Por outro lado, a confiança do inimigo aumentou, fazendo com que aconteçam ataques constantes a bases imperiais de grande importância logística.

No início da revista de Vader, em uma conversa entre ele e o Imperador, nos é mostrado que a missão dos rebeldes em destruir a base bélica do Império teve pleno sucesso, revelando um leve spoiler do que veremos daqui pra frente a partir da segunda edição de Star Wars. Lógico que essa revelação não faz perder em nada o interesse na próxima edição, até porque, convenhamos, já era meio óbvio que obteriam êxito na missão, sendo a parte legal ver como o Jason Aaron desenvolveu esse ataque envolvendo tantos personagens importantes.

Tanto Cassaday quanto Larroca, criam cenas de ações fantásticas com sabres de luz e blasters para todos os gostos. Seus desenhos se assemelham bastante aos atores dos filmes, criando uma imersão maior na história.

No final das duas revistas, temos um preview do que nos será apresentado no mês seguinte com a estreia da revista solo da Princesa Leia. A série conta, inicialmente, com roteiros de Mark Waid, que ganhou grande prestígio com seu recente trabalho em Demolidor, e com a bela arte, um tanto quanto cartunesca, de Terry Dodson, saindo do lado mais realista das outras duas revistas. Sobre o preview, ele possui apenas 3 páginas, as quais foram excluídos os balões de texto e restando somente os desenhos. Nessas poucas páginas praticamente nada nos é mostrado, apenas aquela cena final do Episódio IV — A Nova Esperança, onde aparecem Luke, Han e Chewie sendo condecorados pela destruição da Estrela da Morte. Teremos que esperar a segunda edição da revista Star Wars Darth Vader para tirarmos uma conclusão mais aprofundada sobre a publicação.

Jason Aaron.

O que mais pode se levar em conta nesse retorno de Star Wars para a Marvel Comics é o uso das mesmas equipes criativas da editora. Jason Aaron é autor de Escalpo (Scalped), série da Vertigo, a qual foi indicado ao Eisner Awards de 2011 na categoria de melhor série, e que recentemente escreveu o Thor God of Thunder da fase Marvel Now, que é um evento semelhante ao que ocorreu na DC Comics com os Novos 52. John Cassaday é famoso pelos desenhos que fez para a série Planetary, de Warren Ellis. Também cooperou com Astonishing X-Men, de Joss Whedon. Da parte da revista do Darth Vader, temos Kieron Gillen que tem como trabalhos mais recentes a série Young Avengers e uma participação na saga Avengers Vs X-Men, na edição número dois e contando com a colaboração de Salvador Larroca nos desenhos. Sem dúvida, esse aproveitamento da mesmo equipe que vem fazendo sucesso na editora é um acréscimo enorme para o universo de Star Wars nos quadrinhos.

Capas variantes de Star Wars #01.
Capas variantes de Star Wars Darth Vader #01.

Outro grande atrativo para essa nova série é a possibilidade de adquirir três capas diferentes de cada edição. Isso mesmo, cada publicação contará com duas capas variantes, com artes exclusivas, sendo que uma delas é metalizada dourada (Star Wars, por Lee Bermejo) ou prateada (Star Wars Darth Vader, por Francesco Mattina). Pra quem gosta de colecionar e ter a sua coleção completa é um prato cheio. Todas as capas são belíssimas, o que vai deixar indeciso quem for comprar apenas uma delas. Confesso que foi uma decisão difícil, mas acabei optando pela capa variante não metalizada com o Luke Skywalker, desenhada por Lee Bermejo e a do Darth Vader, também não metalizada, com arte do italiano Francesco Mattina. Além disso, as capas metalizadas especiais possuem um valor de R$ 11,90 enquanto que as edições com capas normais custam R$ 6,90.

As duas novas publicações de Star Wars acabaram se mostrando um material de alta qualidade e corresponderam à toda expectativa que havia sido gerada em torno, situação rara de se encontrar no mercado atual de histórias em quadrinhos, se tornando um material de estreia muito promissor e item de coleção indispensável para qualquer fã da saga.