Por uma vida com menos “oi sumida”

Estamos vivendo a era ‘do tanto faz’ nas relações. Ninguém fala nada, subentende-se quase tudo!

Uma sociedade que “visualiza e não responde” , de “ninguém é obrigado a nada”, “te aviso mais tarde”, “estou na correria”, “do desapega”…

São desde amigos que te colocam na gaveta para ver se surge algo mais interessante.

Ou de “crushs”, namorados que se silenciam um da vida do outro, sem nenhum aviso prévio, sem brigas, choros, gritos, sem ao menos devolver o disco do Pixinguinha ou tomar o livro do Neruda de volta (te amo, Chico!).

É fazer parte de grupos de facebook, whatts, compartilhar piadas, falar do Brad Pitt e não ter a menor noção de como o seu amigo está. Aliás, quem são estas pessoas?

E aí!? Fica todo mundo correndo ou fazendo coaching na busca de algum significado, de um tipo de relação que se classifique como real.

Mas a realidade não está sempre cheirosa, falando palavras gentis, com hahahaha. A realidade tem textão sim!!

Falta presença. Falta se jogar. Se mostrar. Se re-significar.

Por uma vida com menos “oi sumida”.

Like what you read? Give Ana Monteiro de Sequeira a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.