Era abusivo e só eu não percebia

Eu não ligava muito pra essa coisa de relacionamento abusivo. Digo, a palavra certa não é nem “ligar”, eu meio que não achava que fosse acontecer comigo. Só pensava “Nossa, mas tem que ser muito otário pra cair nisso.”, até que aconteceu e eu pude perceber o tempo que demora pra ficha cair. Demora tanto que parece impossível se livrar daquilo.

No início ele era uma pessoa incrível que foi se tornando alguém egoísta. Se tornando não, se revelando. Aos olhos dele eu era uma pessoa limitada. Alguém que errava sempre, não fazia nada certo, demorava pra entender as coisas… E por muito tempo fui chamada assim. Limitada. Além disso ele não fazia quase nada por mim enquanto eu fazia um monte por ele. Óbvio que eu fazia, eu amava aquele garoto. Queria vê-lo feliz. Mas ele sequer movia gravetos por mim, quem dirá montanhas. E quando movia, reclamava. Dizia que eu queria muita coisa.

Ah, e ele não gostava dos meus amigos. Arrumava defeito em cada um e não tinha nem respeito por eles ou por mim. Inclusive já xingou alguns na minha frente, e eu, cega, deixei aquilo pra lá. Pensava “Ah, ele não conhece muito bem meus amigos, né. Por isso acha isso.” Mal eu sabia que ele era só um babaca mesmo.

Tinha também as vezes que ele ficava com raiva e descontava em mim, me tratando extremamente mal. Inclusive, em um desses ataques de raiva disse que eu não fazia nada de útil na vida dele. Logo eu, a pessoa que mais o apoiava. No dia seguinte, pedia desculpa e fingia que nada tinha acontecido. Foi assim por muito tempo, até eu perceber que estava caindo num poço sem fundo.

Ele não me amava. Ele não se importava com meus sentimentos. Ele achava que sim, e eu também achava, mas não. Nunca. E por mais que meus amigos avisassem, me alertassem, não dava, eu não notava. Não era tão fácil assim. Você se acostuma com a pessoa e se prende a ela. Acaba deixando pra lá todas as coisas ruins e arrumando desculpa pra cada uma. Arrumando qualidades que nem existem na pessoa pra explicar o porquê de ainda estar com ela.

Não existe mágica pra você começar a se questionar se está em um relacionamento abusivo ou não, mas prestar atenção aos detalhes é algo simples que todos podem fazer. Botar na balança as coisas ruins e boas. Esqueça o “amor”, isso não se pesa em balança. Nessas horas, seja racional, não emocional. Quando fazemos isso, as vezes notamos detalhes que antes eram invisíveis aos nossos olhos apaixonados. Sei o quanto é difícil sair desse ciclo vicioso, dessa relação. Por mais que seja abusiva, acredito que existam tempos bons com a pessoa, não duvido. Mas lembre-se o quanto você é importante.

E não me venha com “Eu tenho dedo podre pra escolher as pessoas.”. Também não venha dizer que é karma ou culpa do seu signo. Todo mundo merece ser feliz, crescer, independente de outra pessoa. Mas se decidir compartilhar sua vida com alguém, que seja com alguém que te acrescente, porque completa você já é.


Não desista de você. Não desista do amor. O mundo tem outras pessoas incríveis que você precisa conhecer. Não perca tempo com alguém que te trata como “algo” tão pequeno.


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.