A vida de São Gregório de Nazianzo

Amigos, leio e recomendo a leitura da autobiografia de São Gregório de Nazianzo. O livro pode ser comprado novo, a um preço acessível, em quase todas as livrarias. Saiu pela editora católico-romana Ecclesiae. Um pequeno porém é que eu esperava uma obra em versos, como a original, mas traduziram-na em prosa, por causa da dificuldade de manter certas características do texto. Compreensível. Outra restrição que faço é que algumas notas estão enviesadas pelo prisma católico-romano - pela origem da edição é de se esperar. De resto, a leitura segue muito proveitosa.

Faço a recomendação por experiência própria. A primeira autobiografia que li foi a do Venerável Agostinho, Bispo de Hipona, “Confissões”. Na época, uns 15 anos atrás, essa leitura moveu meu espírito. Não tinha ainda uma distinção tão clara como tenho hoje entre o Catolicismo Romano e a Ortodoxia, porém, ali, tinha me afeito definitivamente ao cristianismo — a Cristo realmente, com ou sem ismos, foi a passos posteriores. Hagiografias, narradas de próprio punho ou pela tradição, são sempre boas (“boas” por uma limitação minha de qualificar adequadamente essas obras, que são nada menos do que fundamentais, embora também ultrapassem essa noção).

A autobiografia de São Gregório de Nazianzo é menos extensa, porém até mais edificante, no meu momento e percepção atual. É um documento das lutas (físicas e espirituais) do Padre da Igreja que presidiu o Primeiro Concílio de Constantinopla contra heresias históricas. São as próprias palavras de um santo sobre a vida conforme ela a vivia. É um testemunho de fé. É um exemplo de santidade.

Faço esse paralelo, porque as “Confissões” do Venerável Agostinho conta também uma história de conversão, que me tocou muito numa época de dúvidas. São Gregório foi consagrado a Deus desde o nascimento, e leio-o já renascido pelo batismo.

Sem querer alarmar, desconfio que o livro pode esgotar em breve. Abaixo coloco o linque da Livraria Cultura, mas é possível comprar em outras pelo mesmo preço. Na Travessa, onde o adquiri, só tinha em uma das unidades, então tive que encomendar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated I. Taam’s story.