O Pouco de Mim (experimento)

Não tenho muito à oferecer

além das noites calmas deitado em meu ombro

acariciando teus cabelos.

Não posso nada mais ofertar

que meus sinceros olhares de amor

e paixão

esquadrinhando tua alma

buscando espaços para ali morar.

Não posso nada mais te dar

do que minha companhia

nas noites tristes e frias

quando a saudade dos que já se foram

apertar teu peito machucado.

Não posso deixar nada contigo

senão meus dedos percorrendo tuas costas

te vendo

com meus olhos da alma

sentindo teu coração pulsando junto ao meu.

Não posso nada te oferecer,

além de mim

simples e torto,

esperando para fazer morada em teu peito

e ali permanecer.


Nos conhecemos há alguns anos, vivenciamos as dores e amores um do outro. Deitamos em outras camas, beijamos outras bocas… Hoje nossos corações tristes encontram um ao outro, na calada da noite. Em meio aos filmes antigos e ao vinho barato que você gosta.

Não tenho muito a te oferecer, além de mim, pouco e simples, ora tempestade, ora calmaria, mas sempre ali, pronto para que nossos abraços voltem à se encontrar em meio à multidão…. De novo e de novo.