A grandeza de ser você mesmo.

Hoje pintei meu cabelo de azul de novo, depois de longos meses com o cabelo castanho por causa de estar procurando emprego e tudo mais. Eu sempre odiei o fato de ficar coberta de tinta durante o banho, porque é um saco pra tirar, mas hoje foi diferente. Quando eu vi a água azul escorrendo, eu quase chorei. Parecia que ela estava me colorindo de novo — por fora e por dentro. Foi como tirar um peso da cabeça ou como se uma nuvem escura estivesse saindo e deixando o sol brilhar. 
A sensação de me olhar no espelho e de me ver, aquela Marina de antes (que mesmo não sendo igual por dentro, por causa das mudanças e da vida): colorida, alegre e segura de si. Que as pessoas podem criticar, falar mal, o que quiserem, mas nada disso -NADA- é mais forte do que essa muralha azul que eu tenho dentro de mim. 
Eu me sinto agradecida por conseguir ser eu mesma nesse pedacinho, por mais que eu ainda não saiba quem eu sou de verdade verdadeira. Esse pedacinho é tão verdadeiro, tão intenso e tão mágico que o dia que eu conseguir ser inteirinha euzinha, vou explodir em purpurina no ar.

Like what you read? Give Marina Arêas a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.