Dança da confusão

Quem nunca, quem sofre de ansiedade, ficou perdido entre você e a sua doença? Quem sou eu e quem é ela? Eu já não sei mais responder essa pergunta. Tenho a impressão de que eu coloco a culpa de tudo ruim na ansiedade e dou crédito nas coisas fofas e bonitas à mim mesma. Eu não sou idiota e sei que as coisas não são assim mas meu próprio cérebro, mesmo sabendo que não é assim, CONTINUA ME FAZENDO PENSAR ASSIM. Essa é uma guerra que eu nunca vou conseguir entender: cérebro vs. consciência (?). Como eu consigo ter consciência de uma coisa (não só essa que eu citei, mas de MUITAS outras) e meu cérebro insistir em me fazer pensar outra? Reagir de outra forma? O que acontece dentro dessa minha cabecinha? Parece que eu nunca vou saber…
 Eu queria entender o que acontece. Como eu consigo me sentir tão mal com algo que nem eu fiz, que meio-que foi sobre mim, que eu sei que não me define, mas que faz com que eu queria entrar numa caixa e me mandar pra um lugar bem longe? Eu não faço a mínima ideia. Eu só terei 6 horas de sono e eu não consigo dormir. Quero comer toda a comida da casa, quero ler todos os livros do meu quarto, fazer todos os desenhos que estão na minha cabeça, falar tudo que quero falar e que minha ansiedade me faz pensar 10 vezes mais nelas, aumentá-las muito mais e, até eu dizer, elas vão ficar morando aqui comigo. As ideias são perigosas, já diziam. Mas eu já não sei mais quais são as mais perigosas: as sobre nós mesmos (as quais somos obrigados a conviver ou morrer) ou as sobre o mundo.