A flor é tão divina quanto o fogo de Xangô

minha alma de passarinho
piou lá no congar,
com uma rima simples
o amor vou semear

primeiro as nascentes,
depois o ribeirão,
o Tempo borda um rio
e um mar no coração

cantei 7 versinhos,
pro meu bem me querer,
se eu vivo sozinha
é pois que já sei viver

a primavera nasce,
como uma mão de flor,
e a flor é tão divina
quanto o fogo de Xangô