Benção, mãe

eu não sei o que fazer com
tanto verso torto
e tanta palavra derramada
na língua do Tempo

um pensamento se fixa,
quero fisgar o amanhã,
tecer uma amarra de coragem,
porque tem tanto vaga-lume entalado
na minha garganta

faço um pedido de perdão 
pro Universo:

que se me rebelei
nos dentros
foi porque eu não sabia amar,
que se me sujei
por fora
foi porque nunca me ensinaram
a cura das águas,
que se eu fui fraca
na beira de mim
foi porque desaprendi a força
que sou

mas é tanta palavra solta,
e é tanta luz matando sede,
que um pai
e uma mãe na Terra
não poderiam ser as únicas fontes
possíveis
dessa benção 
que é viver.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.