nada acaba

viver com o coração
é estar vulnerável
ao curso das águas de dentro

canoeira,
rema como se teus braços
fossem raízes,
rizomas
tocando a imensidão
do Tempo

entoa nas margens 
desse enorme rio corrente,
um assovio fino
chamando todos os pássaros
para perto

eles já sabem o caminho

você sente amarelo
como sente fome
ou sede,
você sente que nada acaba
porque existe um vem e vai
que toca profundo
a percepção

é como se o universo fizesse o som
de uma sanfona

Like what you read? Give Aryanne Audrey a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.